Skip to content

Blasfêmia contra a cozinha francesa

12/07/2017

Mirelle Siqueira
Lyon, França
 

Vou parecer maluca, mas lá vai: eu não gosto das comidas da França. Confessei. Vai dizer que você também não tem seu segredo oculto? Não coloca o dedo no nariz quando está sozinho? Não odeia aquela colega de trabalho que todo mundo acha uma simpatia? Então pronto, falei!

Um bom p.f.. Quem não curte? 

O conceito de sabor do lado de cá do oceano é muito diferente do meu. Francês não come brigadeiro porque acha doce demais. O arroz deles é empapado e a carne, muito crua. Sem falar que SAL é um tempero que eles desconhecem. Cozinha saudável uma ou duas vezes por semana até vai, mas todo dia não há santo que aguente.

BLOG Quilo

Trem bão, sô! Comida à quilo, comida mineira, self-service: sustância e fartura… como não amar?! 

Tenho paladar de mineiro, gosto de torresminho, couve na manteiga, galinhada, queijo minas. De que me servem todos os queijos franceses se o mais gostoso eles não fazem? Os crepes são bons? Sim, mas você aguenta comer crepe todo dia? Os croissants são os melhores? Claro, mas não tem o nosso “pãozinho francês”. As sobremesas, de encher os olhos, têm gosto de vento, como os macarons. Ou têm muita fruta, muito creme e só. Meu paladar de formiguinha não aprova.

Macarons: são lindos, mas não enchem a barriga. Ah, mas são lindos. 

Natural o brasileiro que viaja de férias para a França achar tudo muito gostoso e diferente. Afinal, a gastronomia francesa faz parte do patrimônio nacional, mas chega uma hora que eu quero jantar fora e voltar de barriga cheia, sem precisar abrir um pacote de bolachas quando chegar em casa. Sinto falta da variedade dos restaurantes por quilo, de misturar e comer tudo junto, numa garfada só. A fórmula aperitivo+entrada+prato principal não me agrada nem um pouco. Em prato de mineiro a alface é misturada ao arroz com feijão, sem frescuras. Peixe sempre acompanhado de um bom purê+arroz+fritas. Abundância meu amigo! Muita abundância.

BLOG polvo

Poulpe à la crème. Très, très fin. 

Sei que parece estranho uma pessoa que vem estudar culinária na França falar mal sobre os pratos daqui. Seria como ir ao Brasil aprender a jogar futebol falando que brasileiro não sabe jogar bola, uma blasfêmia. Mas meu paladar, desenvolvido a partir do tutu de feijão, quiabo e feijoada, insiste em não criar apreço pela mostarda Dijon, pelo fígado de ganso e muito menos pelo polvo com nata, maldito!

BLOG Foie gras

O fino do finório: Foie gras. 

Claro que a errada sou eu, só faltava querer convencer alguém de que nos brasileiros é que comemos corretamente. Muito açúcar, muito óleo, muito sal, de deixar qualquer francês estarrecido. Talvez por isso, as mulheres daqui são tão magras e os idosos vivem quase um século – eles não comem!

Mas fazer o quê, se eu prefiro morrer cedo com a barriga cheia de coxinha? Casa de ferreiro, espeto de pau!

17 Comentários leave one →
  1. glendadimuro permalink
    27/03/2010 22:38

    Eu também no inicio não curtia muito a comida espanhola, principalmente a comida de restaurante (muito gordurosa) que é um pouco diferente da comida do dia a dia de um espanhol. Também aquela coisa de não misturar as comidas me incomodava muito!!! Eu adoro comer massa com arroz e feijão (eu sei que é nojento, mas gostos são gostos). Aqui, cada prato é um prato, no máximo com acompanhamento de salada ou batata (ou batata, ou quem sabe batata). Mas depois de tanto tempo, ou te acostumas, ou te acostumas… claro, cozinho muito em casa e aqui me esbanjo da mistureba e no arroz como acompanhamento principal!
    Sinto falta da carne boa e barata do Rio Grande do Sul, mas aqui aprendi a comer muita coisa que tinha até nojo de experimentar, como os “caracoles”, lulas, ostras, peixe com cabeça e tudo…enfim, a gente acaba mudando o paladar.

    • 28/03/2010 8:22

      Eu só sinto falta de alguns ingredientes do Brasil, como a mandioquinha (ou batata baroa), a couve, o quiabo, o pão francês e rúcula em abundância. Amo a comida brasileira, mas de vez em quando. Mesmo morando lá eu comia feijão 3 ou 4 vezes ao ano. Além disso, em São Paulo a gente come muita comida do mundo inteiro, tanto que a primeira coisa que fiz aqui foi me encarregar de conseguir trigo para fazer kibe e encontrar todos os restaurantes japonenes do pedaço. Disso sim eu sinto falta, do sushi abundante da esquina de casa.
      Eu odiava os doces do Amor aos Pedaços, porque são doces demais. Mas um brigadeiro nos aniversários é uma necessidade na vida da pessoa…
      Foi fácil me acostumar aqui na Espanha e também quando morei na Argentina, só que lá o chato era ter que comer tanta carne.
      Uma vez me disseram que quem se acostuma viver fora do seu país é porque se sente um estrangeiro dentro dele. Pode ser…
      Ótimo post, Mirelle, e é assim mesmo: por que todo o mundo tem que gostar de uma coisa? Viva a diferença!

      • fernanda permalink
        04/11/2011 15:51

        oi, tava pesquisando como achar trigo para kibe na frança e cai aqui nessa pagina!!! vc poderia me falar onde achou, ja tentei em tudo quanto é supermercado e nada!!obrigada fernanda

  2. 28/03/2010 4:16

    Não sei qual é o gosto da comida francesa,mas concordo com você que uma comidinha bem temperada e em abundância é tudo de bom.
    Abraços e parabéns pelo blog.

  3. persistenciadamemoria permalink
    28/03/2010 14:56

    Acho esse texto otimo! Ja havia lido no seu blog.
    Tambem sentia muita falta de comida brasileira em Paris.
    Meu marido, que eh colombiano, acha a comida do Brasil a melhor que ele ja provou.
    Mas sabe que, de volta ao Brasil, sinto falta de algumas comidinhas francesas?

  4. ISah permalink
    29/03/2010 14:11

    HAHAHAHA! Aii..dsculpaa rir da sua tragedia assim…mais q o texto fico engraçado fico!!! xDD nao digo que entendo sua dor pq apesar d achar a comida daqui da espanha saudavel (DEMAIS), ainda tenho os doces! (mais ainda acho os doces do brasil melhores…

  5. 31/03/2010 17:34

    Ooooh Glenda, que maldade. Polvo na chapa é uma das melhores coisas do mundo, he-he. Gente, misturar massa com caldo de feijão, farofa com salada, frango com camarão… não dá. Lucy: brigadeiro é uma necessidade na vida da pessoa mesmo, brigadeiro na veia, na artéria !!!!!! Mireille, muito estranha a carne na França viu? Quando me perguntam Bleue ? Saignant? À point? Eu digo: BRULÉE !!!

  6. Sheyla permalink
    05/04/2010 23:12

    Mirelle,

    Nos, mineiros, nos sentimos homenageados com seu post!

  7. igal flint permalink
    02/01/2011 23:11

    Ao dizer que a base do seu paladar foi desenvolvido “a partir do tutu de feijão, quiabo e feijoada”, lhe afirmo, como nutarólogo desde 83, que a melhor base é sempre a natural . a base natural é universal ;ou seja: os frutos do pomar, os vegetais frescos das hortas,os grãos dos campos,as raizes da terra,os frutos secos das arvores e os frutos silvestres dos bosques são uma unanimidade entre todos os buscadores da saúde mundo afora.
    o teu ponto de partida recebe da minha parte a mesma nota que dou a tantos franceses ,amantes de tantas coisas estranhas e degenerativas;ou seja, Zero!
    LEIA COM URGENCIA A “ALEGORIA DA CAVERNA” DE PLATÃO

    • 03/01/2011 6:53

      Uau! Será que alguém poderia explicar para um leigo curioso como eu?

    • Helena Silvestre Ford permalink
      13/07/2017 20:02

      Ta falando sério? Igal F???? Zero deve ser usado ate para classificar papel higienico em teu conceito de “anti natural”..
      Ainda bem que tenho nutrólogos e nutricionistas incríveis (que nao sao assim chatos) em minha familia , graças a Deus!!

  8. Melluna permalink
    15/04/2013 13:03

    Adorei o seu texto! moro na frança e concordo plenamente com você!

  9. Meire Cezar permalink
    30/09/2013 14:24

    Oi Mirelle,encontrei seu site procurando trigo p kibe aqui na italia ,achei muito intereçante o teu texto.confeço q adoro a culinaria italiana.Mas falando serio ter q comer 2 ou 3 pratos p dizer q poderia ser sò um ,as vezes me deixa irritada,ainda mais qd estamos com fome.Meu marido è italiano e advinha quase todo dia em casa ele pedi comida brasileira p comer nun prato sò e isso me deixa tao feliz .

  10. 29/04/2015 11:37

    Kkkkkkkk adoro seu blog. Danielle – Courbevoie.

  11. Maria Nazare S. de Carvalho permalink
    08/05/2016 21:05

    Pesquisando, descobri a sua página. Você gosta de tudo aquilo que eu não gosto desde a infância:muto sal, muito açúcar muita gordura, comida toda misturada!!Ai! Viva a cozinha francesa!!!!!

  12. Helena Silvestre Ford permalink
    13/07/2017 20:20

    França com seus sabores e dissabores. sim, existe DISSABORES, mas falar nisso é tabu para um povo ( brasileiro) que tem de dizer amem ate se eles pisarem em vc!!
    O texto é otimo e leve, pessoal se incomoda pq não sabem o que eles comentam no Brasil( a regra nao é a da anfitrianidade?)
    Meus tios e primos são franceses e cansei de ir a Paris, ja vivi la três anos. o pior é a mania dos brasileiros em ostentar o que não existe para justamente nao dizer que odeia aquele vinho tinto tao cobiçado ou aquela torta feita a base de açucar de beterrada e nao ter de encarar olhod esbugalhados como se tivesse matado alguém … As frutas em Paris tem gosto de sabao mesmo! No Brasil cuspimos e desperdiçamos o qiee temos de melhor , entao muita coisa se explica!

    O texto é de uma BRASILEIRA que comenta SEU ponto de vista em uma cidade que se escuta “merde” a cada par de segundos( e que magras nao sso assiiimm tao como antigamente) ! mas se fosse homem comentando, a mulherada aqui ia achar ainda mais engraçado!
    Ninguem lê comentários de franceses em outros países ou pior Americanos! isso aqui pareceria um manjar de sabores! Nossas ameixas que alias sao muiiito saborosas durante praticamente o ano inteiro!

    É tabu falar de aspectos negativos ninguem entende que TODO O MUNDO DO MUNDO TODO ja faz isso!
    Mas brasileiro detesta ver ou ouvir outro brasileiro se manifestar ainda que seja tao legal, leve e divertido.
    As pessoas estao chatas demais!
    Deixo com meu tio Fran que ai saberão o que é nota zero ( alias o comentario da nota zero por um nutri foi podre) e ser chato!

    • AnaFonseca permalink*
      14/07/2017 7:10

      Olá Helena, obrigada pelo seu comentário.

      A Mirelle já não está no blog há muito anos, esse é um repost, e portanto não creio que ela irá ler os comentários mais recentes. Esse texto foi escrito quando a Mirelle tinha chegado à França (ela mora em Lyon ou Dijon, não me lembro bem), e ainda sofria alguns “choques culturais”. Então podemos ver como ela ainda estava naquela de “Cade o meu tutu?” e “Onde foi parar meu quiabo? Meu frango ao molho pardo? E um queijinho mineiro?”.

      Do ponto de vista nutricional arroz+feijão é excelente. Mas diariamente, cansa. Devido à diversos fatores que não cabem discutir aqui (culturais, falta de grana, nível social, etc.) o brasileiro acha que isso deve ser a base de toda refeição – e que está faltando “algo” quando não come isso praticamente quase todo dia. Acha que “está fraco” etc..
      Eu também achava as porções pequenas quando cheguei à Holanda. Estranhei muita coisa, mas não sofri. Principalmente os legumes e frutas daqui vem todos da “cidade de vidro” as gigantescas estufas perto de Roterdã. Ou são tratados à base de radiação. Os holandeses conseguiram eliminar totalmente o gosto de tudo. Então quando vou à França adoro as cerejas, os morangos, as vagens fininhas, os cogumelos…

      Para encerrar… Os legumes e verduras brasileiros são cultivados em excelente solo e recebem bastante sol. Tem um gosto excelente. Mas têm muito agrotóxico, campeão mundial do uso indiscriminado de pesticidas na lavoura.

      Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: