Skip to content

O Museu Dalí, em Figueres, na Espanha

29/08/2017

Ana Fonseca – Figueres, Espanha

Eu estive no museu do Salvador Dalí há meses atrás, e decidi fazer um post grande a respeito – um post mais longo do que costumamos publicar. Tudo sobre o pintor (sua obras, suas entrevista e declarações, sua sexualidade e vida privada, seu relacionamento com a crítica especializada, a mídia e o público) é controverso, intenso e foge dos padrões tradicionais. Tem muita gente que odeia o Dalí. Então, se segurem porque esse post é longo e meio maluco.

BLOG dali moustache 2

Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech, Marquis of Dalí de Púbol (1904 – 1989) ou, simplesmente: Salvador Dalí. 

Eu e minha família estávamos em Amélie-les-bains, na França,  e logo depois do café da manhã muito rápido, meu marido propôs que parássemos em Figueres, antes do nosso destino final na costa da Catalunha. Como o check in no nosso destino final só poderia ser feito a partir das 16h, visitar um museu em Figueres e almoçar por lá seria uma ótima maneira de usar o tempo.

Eu fiquei com receio de chegar após as 9h e ter que ficar muito tempo na fila. Mas foi super tranquilo. Estacionar grátis na rua a alguns quarteirões do museu também foi surpreendentemente fácil. Os espanhóis não começam o dia muito cedo…

Só não contava do “museuzinho” (nas palavras do meu marido) fosse um prédio abrigando as obras do famosíssimo Salvador Dalí! E não é um museu convencional: é uma obra de arte em si, o maior objeto surrealista do mundo.

Localizado no antigo Teatro Municipal de Figueres (cidade natal do artista), o prédio do século XIX estava em ruínas. Em 1960, em comum acordo com o prefeito de Figueres, Dalí iniciou o projeto de reformar arquitetonicamente o Teatro para acolher suas mais diferentes obras (ele já gozava de considerável fama e tinha um famoso acervo pessoal). Dalí especificamente também queria um espaço dedicado para outros surrealistas, e todo um andar para seu grande amigo (e futuro diretor do museu) o pintor Antoni Pitxot.

Podem chamá-lo de megalômano, convencido, o que for. Mas uma coisa é certa: Dalí tinha visão do seu valor e foi extremamente ousado em preocupar-se em ter um museu próprio para suas obras e para seus amigos surrealistas. Ele não queria deixar ao acaso ou às gerações posteriores a preservação de suas obras. Quantos artistas no mundo já fizeram isso até hoje? Ele era muito vanguarda!

O Teatro-Museu Dalí:

A parte exterior do museu já é um espetáculo! À esquerda da foto, você pode notar uma torre, que o Dalí chamou de “Torre Galatéia” em homenagem à sua musa e amante, a Gala.

Podemos notar, ainda do lado de fora do Teatro-museu Dalí, uma das obsessões do artista: a relação entre duro-mole (não riam, eu disse que esse seria um post meio maluco), e vida-nutrição-morte. O exterior duro, e um interior mole/macio são representados pelos ovos e pães (grudadinhos nas paredes). Eu achava (como muita gente acha) que eram cocozinhos, montinhos de cocôs. Mas descobri que são tradicionais pães catalães de três pontas. O nome é “pá de crostons”. Olhem melhor:

O Dalí tinha várias obsessões bem peculiares, como , por exemplo: caracóis (exterior duro, interior mole…) e tinha várias repulsas. Mas bom, a análise dele fica para os psicólogos e psiquiatras de plantão…

“Não sou estranho. Apenas não sou normal”. (Salvador Dalí)

Voltando ao prédio do Teatro-Museu Dalí: Há também no exterior, por cima dos muros, vários bonequinhos dourados, alguns com braços levantados, como numa “saudação” à cidade e aos visitantes. Eles se parecem com as estatuetas do “Oscar” de Hollywood. Não sei se representam algo mais, se alguém souber por favor colocar nos comentários.

O próprio Dalí está enterrado no museu, numa cripta abaixo do palco – lógico, lugar perfeito para quem se achava uma estrela do show do universo.

Quero que meu museu seja um bloco único, um labirinto, um grande objeto surrealista. Vai ser um museu totalmente teatral. As pessoas que o visitarem, irão partir com a sensação de terem visitado um sonho teatral (Salvador Dalí). 

Dentro do museu há mais estátuas de douradas, como se celebrassem os visitantes, que são na verdade os atores principais do espetáculo permanente.

Há detalhes feios e desconexos também, que meu pai (um grande conhecedor de arte e muito cínico) chamaria com certeza de “mondronga calculada”. Isso proporciona um desconforto aos visitantes, e a sensação de pesadelo. Veja o detalhe abaixo:

No interior do pátio há esse barco virado e também uma instalação em forma de um misterioso Cadillac. O que signifcam? Não sei.

210Dali

Atravessando o pátio você entra sob uma cúpula de vidro do antigo palco do teatro (como já mencionei anteriormente: onde o Dalí está enterrado, numa cripta no subsolo).

208Dali

Sob essa cúpula você pode começar a admirar os primeiros trabalhos de Dalí em relação à perspectiva e ilusão de ótica. Sim, e ver o famoso quadro que de perto é um torso nu de Gala contemplando o mar, e de longe (a uns 20 m de distância) o rosto do presidente Abraham Lincoln. É brilhante a ideia! Veja abaixo:

BLOG Gala

Aqui nesse post, eu não mostro fotos das pinturas do Dalí. Algumas obras muito importantes não estão nesse museu em Figueres, mas nos EUA e outros países. Veja abaixo em “Serviço” a razão para eu não mostrar fotos.

As Joias do Dalí:

Terminando a visita das pinturas e instalações de Dalí e outros surrealistas, há um setor de exposição de 39 joias desenhadas pelo artista multifacetado. Joias e também os desenhos que o Dalí enviou para um joalheiro argentino fabricar, sob sua supervisão. Eu fiz muitas fotos para escolher as melhores. Fotografar foi um desafio, devido à reflexão dos vidros e aos rostos das pessoas que grudavam os narizes (argh!) contra os vidros (argh de novo!).

Dalí atribuiu seu amor “por tudo que é dourado e excessivo, a paixão por luxo e roupas orientais” a uma suposta  “linhagem árabe”, afirmando que seus antepassados seriam mouros. Sim, ele adorava um bling bling, e comportamento grandioso.

328DaliJewels

Acima, uma joia de relógio derretido, que faz referência à pintura “A persistência da memória”. Dalí já tinha desenvolvida teorias sobre a flexibilidade do tempo e possibilidade de viagens no tempo. O Dalí também gostava muito de novas tecnologias. Se ele ainda estivesse vivo hoje, na época da internet, penso que iria fazer mil loucuras.

327DaliJewels

“Telephone ear clips” (1949) em ouro, diamantes, rubis e cabochon. 

“Ilusão! As joias dalinianas são totalmente sérias. Fico alegre que as pessoas sorriam diante de brincos em forma de telefone. Um sorriso é algo agradável. Mas os brincos, como todas minhas joias, são sérios. Eles representam o ouvido, símbolo de harmonia e unidade. Conotam a velocidade dos meios modernos de comunicação; a esperança e o perigo de uma mudança instantânea do pensamento.” (Salvador Dalí)

350

Acima: desenho de Dalí para a execução da joia “colar com membros interligados”. Abaixo, a joia confeccionada, com braços e pernas em ouro circundando uma grande ametista oval:

351

348

Acima: “A aranha da noite” (1962) e abaixo “O elefante do espaço” (1961).

355

338DaliJewel

Acima e abaixo: fotografei o “lábios de rubi” (1949). 

340DaliJewel

Essa boca de joias preciosas do Dalí teve muita influência, décadas mais tarde, em vários setores: fotografia, moda, cultura pop, design e cinema.

Foto acima: via Pinterest

Saindo do setor de joias e voltando ao museu… Há várias instalações do artista que brincam com perspectiva. Numa das salas escuras, há objetos espalhados pelo chão. Apenas subindo uma escada tripé, você através de lente consegue ver o rosto da atriz Mae West. Veja abaixo:

Essa boca carnuda da Mae West inspirou uma linha de sofás em forma de boca e de várias cores, objeto icônico daliniano, verdadeira obra de arte para quem tem muito dinheiro para ter uma peça assim em casa.

Na foto abaixo, minha filha segurando uma boquinha decorativa, na lojinha do museu. Fiz uma foto e falei logo para ela pôr de volta, pois não gosto de decorar o quarto dela de rosa ou com nenhum dos clichês de “joaninhas-fadinhas-corações-princesas e beijinhos”. Mas depois de ter preparado esse post, fiquei saudosa de tantas bocas vermelhas, rosadas e alaranjadas em forma de bolsa, almofada e o diabo, e me arrependo de não ter comprado um bocão carnudo e lôko para decorar meu quarto ou a estante.

SERVIÇO:

O popularmente nas bocas conhecido como “O museu do Dalí” se chama na verdade Teatro-Museu Dalí.

A entrada dá acesso ao museu e também ao setor de exposição de joias, e custa 14EUR para adultos e 10EUR para crianças e aposentados. Criança abaixo de 8 anos: grátis. O Teatro-Museu Dalí também fecha durante vários períodos do ano. Verifique o site do próprio museu para evitar desagradáveis mudanças de preço, diferente do que coloquei acima:

https://www.salvador-dali.org/en/museums/dali-theatre-museum-in-figueres/info-practica/horaris-i-preus/

O site também tem muita informação sobre a história do museu e a coleção. Tirar fotos das pinturas do Dalí é complicado, e eu procurei evitar isso (é preciso preencher um formulário), me focando mais no prédio do museu, nas jóias e na lojinha. Se você quer reproduzir no seu blog pessoal ou website fotos das pinturas do museu, é melhor busca-las na internet.

outros lugares no mundo onde você pode apreciar as obras do Dalí. Não os conheço, portanto não tenho como emitir uma opinião. Se alguém já os visitou, por favor deixe sua opinião nos comentários.

Castle of Púbol – (Gala Dalí Castle Museum-House) em Púbol, na Catalunha, Espanha

Salvador Dalí House – Portlligat (Cadaqués), na Catalunha, Espanha

Dalí Universe – Londres

Espace Dalí – Paris

Salvador Dalí Museum – St. Petersburg, Flórida, EUA

No final do museu, há um jardim e uma fonte, onde você pode descansar e pensar um pouco sobre o que viu, antes de sair. Quando saímos dali, a fila de entrada estava enooooorme! Perto do museu, há uma praça com restaurantes baratos servindo comidas típicas espanholas. Nada muito especial, a preços bem módicos e num esquema “turistão”, com quase todo mundo tomando sangría.

Uma última dica ao visitar o Teatro-Museu Dalí:

Eu visitei esse museu “sem preparo”, sem ter lido antes a respeito. Apesar de já ter lido muito sobre o Dalí durante a infância, o museu para mim foi meio “desconexo” no layout e disposição das obras. Como perfeccionista que sou, eu gostaria de, na época da visita, poder ter encontrado um post como esse que fiz antes de ter ido para lá, para não chegar tão “crua”. Portanto, quanto mais você ler sobre o museu e sobre o Dalí, mais vai aproveitar a visita!

BLOG perfect

*Todas as fotos dessa postagem: arquivo pessoal da autora do post. 

* Mais fotos das joias de Dalí você encontra no perfil do Instagram do blog “Brasil com Z”

*Gostou da postagem? Sharing is caring! Compartilhem e convidem seus amigos a curtir o blog “Brasil com Z”nas mídias sociais.  

_________________________

Ana Fonseca mora desde 1999 na Holanda e administra o blog “Brasil com Z”. 

5 Comentários leave one →
  1. 29/08/2017 14:04

    Fantástico esse lugar.

  2. 04/09/2017 8:35

    Ah, essas mentes geniais…. Eu não tenho a menor condição de compreendê-las, rs, mas as admiro! Bem bacana o post, Ana! Já tinha visto algumas das suas fotos no Facebook e gostei de ver as outras!

    • AnaFonseca permalink*
      05/09/2017 12:05

      Sim, as admiro também. Principalmente quando atuam em diversos campos simultaneamente e quebrando padrões. Abraços!

  3. Ana Cecília permalink
    05/09/2017 13:10

    E que sonho teatral!!
    Uma experiência em forma de Museu!! Maravilha!!!
    Ano passado tivemos uma expo, com as obras dele, aqui no Rio, bem grande!
    O cara realmente fez diferença e conseguia colocar pra fora, em arte, os seus sonhos e pesadelos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: