Pular para o conteúdo

Pequenos viajantes pelo mundo: viajar com crianças e dicas de planejamento

26/04/2018

Manuela Marques Tchoe – Munique, Alemanha

Ainda me lembro a primeira viagem que fiz com meu filho, ainda um bebêzinho de dois meses. Era um verão de lascar em Munique e eu, que não consigo ver um sol pela janela e ficar em casa, queria sair, viajar. Eu sabia que seria mais difícil e estressante, que nada seria como antes. Isso me agoniava, para ser sincera. A liberdade de colocar uma mochila nas costas havia se despedido, mas era como se eu não quisesse me conformar com o destino de ficar dentro de casa, sendo a perfeita mãe e dona de casa. Ninguém merece, eu dizia para mim mesma (mas não contava para ninguém). Mas então eu e meu marido decidimos arriscar um pouquinho: fomos para o lago Walchensee a uma ou duas horas de viagem de Munique, colocamos todos os trambolhos de criança no carro e partimos.

IMG_0898

Em Bolonha, Itália, meus meninos se divertem. Viagem em família é tudo de bom!

Gente, não foi fácil… mas foi muito bom! Não fizemos tudo o que queríamos (ainda éramos ambiciosos…), a exaustão era enorme, mas tem horas que ou você derrota o cansaço e segue em frente, ou o cansaço te derrota. Às vezes batia vontade de voltar para casa, mas fui até o fim. Não me arrependo.

Essa viagem – apesar de curta e perto de casa – me deu coragem para não me perder nos embaraços da maternidade. Inclusive, não só é possível viajar com criança (com os limites, é claro), mas acredito que seja recomendável para a família toda.

IMG_7360

Brincando de espião no museu da Alemanha Oriental (DDR Museum), Berlim.

Primeiramente, porque mamães precisam de novos ares mesmo, sair da rotina. E é uma ótima oportunidade para papais colocarem a mão na massa e verem que cuidar de menino é cansativo, estressante e, vamos ser sinceros, às vezes é um saco mesmo.

No fundo, no fundo, eu sempre soube que continuaria viajando mesmo com todos os empecilhos. Pode parecer egoísta, mas hoje, com meu menino à beira de completar cinco aninhos, tenho a sensação – aliás, a certeza! – que é bom para ele também. Depois de Walchensee, já fomos para o Brasil, Inglaterra, Croácia, França, Itália, Espanha, República Checa e Grécia, além de outros destinos aqui por perto (ainda nos falta fazer uma viagem mais longa, mas para isso precisamos de algo chamado din-din).

Por que é tão bom assim? Digo a vocês que quando nós – os três mosqueteiros – viajamos, somos uma família da forma mais pura, temos tempo um para o outro, sem o cotidiano de afazeres domésticos infinitos, trabalho, enfim, o cotidiano enfadonho (quem nunca sentiu que nossa vida mais parece um replay que nunca termina com as mesmas tarefas, over and over again?). Quando estamos em outro lugar, somos nós três e pronto; temos tempo de fortalecermos o vínculo de amor que no dia a dia deixamos para depois.

IMG_6071

Em Thessaloniki, Grécia, fizemos um passeio de bicicleta familiar – é claro que o rapazinho adorou!

Além disso, levar os filhotes nas viagens lhes dá a oportunidade de aprender sobre coisas e culturas diferentes. Quando você aterrissa em uma nova terra, com outro clima, outra língua e comida, novas paisagens e até alfabetos diferentes, é inevitável que crianças sintam-se curiosas e perguntem, perguntem, perguntem e, é claro, aprendam, aprendam, aprendam. Isso vale para elas entenderem que existem outras línguas, outras culturas, pessoas de feições e cores diversas, sabores exóticos e deliciosos. Desses novos conhecimentos nasce a tolerância e o respeito, coisas que, convenhamos, estamos mais que precisados hoje em dia.

Mas fora os óbvios benefícios de embarcar em viagens com crianças, planejamento é tudo. Às vezes dá vontade de ser mais espontâneo, mas vamos combinar que com criança é bem mas difícil. Por isso, deixo o espírito alemão do planejamento dar as caras e sim, gasto um tempinho planejando o faremos, quando, como e tudo o mais.

Então, eis algumas dicas para quem está pensando em viajar por aí com as crias:

Aceite que viagem com criança é diferente

Viajar com criança vai limitar um pouco a sua viagem – aceite isso. De nada adianta você depositar muitas expectativas do que visitar para depois seus planos serem derrotados por choros intermináveis. É provável que você vá passar um tempinho num parquinho, mesmo que você esteja morrendo de vontade de visitar aquele museu. Até all-inclusive você vai começar a considerar, só mesmo para não ter que pensar nas refeições. A primeira coisa a colocar na bagagem e no coração é que suas viagens serão diferentes do seus tempos child-free.

IMG_6702

Um outro ritmo: caminhada perto de Tegernsee, Alemanha.

Envolva seus filhos na preparação da viagem

Se seus filhos já são um pouquinho mais velhos, envolva-os na preparação, ouça o que eles têm vontade de fazer. Com meu filho de quase cinco a preparação envolve mencionar que a viagem está chegando, que nós vamos para o lugar tal e mostrar onde ele fica no mapa mundi, que língua se fala e o que nós queremos fazer (Praia? Castelo? Fazenda?). Enfim, vamos preparando um pouco a cabeça e o entusiasmo para a viagem. Quando ele crescer mais um pouco, podemos envolvê-lo mais no planejamento e nas atividades.

Reserve visitas super turísticas com antecedência

Se você não gosta de pegar filas quilométricas, imagine uma criança. Poupe-se desse estresse e, caso você queira visitar lugares mega turísticos como o Coliseu, o castelo Neuschwanstein, etc., cheque na internet se há possibilidade de comprar ingressos com antecedência. Se sim, embarque nessa, porque ninguém merece ficar na fila do museu do Vaticano sob o sol inclemente de Roma.

Voos nonstop ou com escala?

Depende do que você prefere, do seu orçamento, quanto tempo leva o voo, até da idade de seu(s) filho(s). Para bebês, dependendo do tempo de viagem, acho um voo nonstop mais recomendável, pois tem como a criança dormir mais sossegada. Para crianças maiores e que precisam se movimentar, um voo longo torna-se sacal (mesmo com opções tecnológicas), então fazer uma escala pode ser uma boa ideia para deixar a criança gastar energia. O risco é, como sempre, de haver atrasos ou cancelamentos. O importante é você estar preparado para gastar mais um pouquinho para voos com horários decentes; se você for viajar às 6 da matina, não espere que seu filho coopere. Bom senso na escolha dos voos é essencial para uma boa viagem para você, seu filho e os passageiros (que não merecem ouvir choro incessante de criança).

Apartamento ou hotel?

Depende. Pessoalmente, gostamos mais de apartamento devido ao espaço. Se fosse para Paris de novo com meu filho, com certeza ficaríamos em apartamento (geralmente os quartos de Paris são minúsculos). Mas em certas ocasiões, vale mais a pena trocar o apartamento pelas amenidades e serviços de um hotel. Depende do local, do seu orçamento, de quanto tempo você ficará num lugar. Enfim, coloque tudo na balança e veja o que mais sentido no seu caso.

Leve objetos que remetam à casa

Reserve um lugar na mala para levar brinquedos, livros, bichinhos de pelúcia que seu filho não consegue largar. Não precisa levar tudo, mas aquelas coisas que ele mais gosta. Da última vez que viajamos não levamos o caminhão de lixo que meu filho ganhou de aniversário e foram três semanas de reclamações! (eles lembram sim – e como!)

Equilibre passeios de adulto e criança

Eu sei como é sacal estar num lugar bacana e querer visitar mil coisas, e acabar “perdendo tempo” num parquinho. Mas lembre-se como é importante que toda a família aproveite a viagem, inclusive os filhotes (senão, é reclamação na certa!). Quando estivemos em Paris (na época meu filho tinha um aninho), fomos para os Jardins de Luxemburgo e passamos umas duas horinhas no parquinho. Gostaria de ter feito outra coisa? Sim, mas foi legal ver o filhote aproveitando um parquinho diferente e se divertindo. Equilíbrio faz muita diferença!

Imaginação é tudo

Atice a imaginação, crie histórias, deixe seu filho se embasbacar tanto quanto você. Igrejas podem virar castelos, montanhas que foram feitas por um gigante, enfim, histórias e lorotas mil que você pode inventar para despertar curiosidade e interesse.

IMG_5649

De quem é esse pezão? Coisas que atiçam a imaginação! Em Trier, Alemanha.

Sorvete no almoço e pipoca no jantar

Eu sou daquelas mães cri-cri com alimentação saudável, mas quando estamos de férias eu relaxo nesse aspecto. É claro, procuro intercalar sorvetes e docinhos com frutas e coisas saudáveis (até para que ele não fique com dor de barriga), mas o importante é o menino estar de bucho cheio. Se no nosso cotidiano ele não toma sorvete todos os dias, no nosso último tour de três semanas pela Itália meu filho se deleitou com um sabor novo a cada dia.

Entretenimento para longas viagens: old school + tecnologia

Precisa-se de criatividade para entreter crianças em longas viagens. Brincadeiras, cantorias, leituras, jogo da memória, dominó, dentre outros, são algumas opções. É divertido até para os adultos, quando seu coração está na brincadeira, mas às vezes precisamos também de sossego. Nesse momentos, não tenho vergonha de dizer que apelo para as novas tecnologias. Procuramos colocar os desenhos que ele mais gosta e alguns jogos educativos. Já falei que equilíbrio é tudo? Pois!

IMG_7165

Livro interativo, uma forma de entreter durante a viagem e aprender ao mesmo tempo. Aqui, no trem para Berlim.

Outra coisa que super recomendo é uma câmera fotográfica infantil (ou daquelas digitais mais baratinhas). Com a câmera em mãos, a criança descobre paisagens e novos ângulos, e se diverte na descoberta de novos lugares, pessoas, culturas, e tudo o mais.

IMG_7097

Fotografar faz bem! Numa caminhada ao redor do lago Eibsee em Garmisch-Partenkirchen, Alemanha. 

Faça o seu checklist

O seu planejamento ficará mais fácil se você tiver uma lista para te guiar na preparação. Existem muitas opções hoje em dia como da Revista Claúdia e diversos blogs que já fizeram um checklist pronto para uso, como o do Just Real Moms. Use essas listas como inspiração para criar uma lista que faça sentido para você e sua família.

E você, que dicas pode dividir conosco?

 

___________

Manuela Marques Tchoe é uma escritora baiana que atualmente reside em Munique, Alemanha. Seu primeiro livro, Ventos Nômades, é uma coleção de contos que  exploram o desejo de viajar e do exótico, os desafios e maravilhas de relacionamentos multi culturais e imigração. Manuela também escreve para o seu blog pessoal Baiana da Baviera e está presente no FacebookInstagram e Twitter com reflexões sobre a vida de imigrante, viagens e literatura.

Para ver fotos da Manuela pelo mundo e dos outros autores do blog, acesse e siga o perfil do “Brasil com Z” no Instagram. Aproveitem a onda e sigam-nos também no Twitter e nossa página no Facebook para atualizações diárias do blog e reportagens internacionais. Blog “Brasil com Z” um blog feito por brasileiros expatriados, vivendo nos quatro cantos do mundo! Quer participar do blog? Conte-nos sua história e motivação: blogbrasilcomz@gmail.com

11 Comentários leave one →
  1. AnaFonseca permalink*
    26/04/2018 11:38

    Meus filhos sempre viajaram conosco, desde o nascimento. O mais velho aos 7 meses foi para o Brasil. Minha menina aos dois meses foi de carro na cadeirinha para a França (e parávamos de 2h em 2h para eu amamentá-la). Esgotante, mas possível. Acho que sempre tivemos essa atitude porque meu marido também desde bebê viajava no carro dos pais para outros paises, dentro de uma caixa de papelão(!) solta no banco de trás do carro (!), obviamente sem cinto de segurança(!) e living la vida loca.

    • 27/04/2018 5:00

      Viajar numa caixa de papelão! Que sensacional isso!

      • AnaFonseca permalink*
        28/04/2018 12:32

        Outros tempos, né? Não tinha tanto tráfego como hoje.

    • Manuela Marques Tchoe permalink
      28/04/2018 12:33

      Ótimo!!! Antigamente éramos mais relaxando não? 🙂

  2. 26/04/2018 20:26

    Revezar as atrações entre adultos e crianças é ótima idéia, geralmente explico antes e fazemos combinados. As garrafas de água também são nossas parceiras constantes. Cada um tem uma pequena mochila de costas para seus pertences. Um mimo para o bom comportamento sempre é oferecido. E assim vamos que vamos.

    • Manuela Marques Tchoe permalink
      28/04/2018 12:34

      Com certeza! Obrigada pelo comentário! 🙂

  3. 27/04/2018 5:00

    Adorei o post, usarei as dicas todas em breve 😀 Tô aqui ansiosa já!

    • Manuela Marques Tchoe permalink
      28/04/2018 12:34

      Vai dar tudo certo! Aproveite bastante 🙂

  4. Juliano Emilio permalink
    03/05/2018 14:55

    Muito boas as dicas!!!

  5. 11/06/2018 13:08

    Nossa que dicas legais! Eu sempre quero viajar e levar as crianças, meu marido acha um pouco cansativo e acha que eles não se divertem tanto, já vou dar esse texto para ele ler 🙂
    Amei! Vem conhecer nosso blog, tenho certeza que vai gostar também!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: