Carolina Martins – Itália

A água na Itália é potável, mas rica em calcário, a chamada água dura. Em determinados lugares do país dá pra sentir um certo gostinho estranho quando se bebe, diferente do que estamos acostumados no Brasil.
Como um dos maiores consumidores de água no mundo, aqui na Itália tem um tipo de água mineral para cada coisa, tem água com magnésio, água com potássio, água que ajuda no bom funcionamento do fígado, do intestino, da bexiga, tem água para tudo. O normal aqui é comprar água no mercado, que custa muito barato. É possível achar garrafa de 2 litros por 17 centavos! O difícil é escolher qual água comprar.

arriva_levissima_lacqua_con_piu_sali_minerali

Uma versão ainda mais econômica é a jarrinha que você troca o filtro e vai usando a água da torneira mesmo. Eu uso tanto essa jarrinha, quanto água mineral de mercado, não sinto muita diferença no sabor.

Man pours water into water filter jug

Esse calcário da água acaba gerando alguns probleminhas, como manchas no fundo das panelas, cafeteiras, manchas na máquina de lavar, na pia, no box… O ideal é usar um filtro em todas as saídas de água, evitando esse acúmulo de calcário. Eu mesma tenho um filtro em todas as torneiras. E se juntar alguma mancha mesmo assim, uso um limpador anti-calcário, que encontro no mercado, e é uma espécie de Veja, que limpa tudo. Esse calcário não é tóxico nem nada, apenas chato.

loreal shampoo

Quando cheguei na Itália não sabia direito desse calcário, no Brasil não tem nada disso. Ainda morando em Bassano del Grappa, lavando o cabelo, olhei o ralinho e estava entupido de cabelos. Que susto! Não sabia que o efeito desse calcário era tão forte. E não só no ralinho, reparei que na minha roupa, no chão, tinha cabelo em todo lugar, mais do que o normal.
Quando esse tipo de coisa acontece, é ter calma e pesquisar. Descobri que isso é normal aqui e totalmente remediável. Comecei colocando um filtro no chuveiro. Você encontra esse filtro em qualquer Leroy Merlin ou loja de materiais de construção, troco a cada 3 meses e custa perto de 10 euros.
A segunda coisa foi comprar um shampoo anti-calcário que uso a cada 15 dias, ele tira qualquer resíduo que ficar no couro cabeludo. Uso o L’oreal Pure Resourse de 500 ml, o meu dura 1 ano.

optima

E para garantir, tomo uma cápsula de integrador alimentar 2 vezes por semana, que ajuda no fortalecimento do cabelo e unhas, o Optima. Com isso não fiquei careca, meus cabelos não caem mais e ficaram muito mais bonitos que no Brasil.

DSC01823

“Drago verde” em Milão. Foto do meu arquivo pessoal.

Na Itália existem fontes que ficam espalhadas pela cidade, com água potável, é a “Vedovella” (ou viuvinha, porque ela sempre está chorando) ou Drago-Verde em Milão (onde a fonte é verde e a torneira é um dragão). Cada região tem seu formato e apelido para as fontes. Elas são muito icônicas e um salva-vidas no calor.

Morando aqui me acostumei com elas e já decorei a localização de quase todas. Quando viajo para outros países sinto uma falta imensa das “viuvinhas”. E, pensando bem, todos os países deveriam ter fontes potáveis espalhadas pela cidade. É um baita conforto!

____________________

Carolina Martins é paulistana e mora atualmente em Milão, onde estuda confeitaria. Para saber mais sobre ela e a conta pessoal no Instagram acesse aqui a mini biografia. Mora no exterior, gosta de escrever e quer concorrer a participar do blog “Brasil com Z” como autor ou colaborador? Seja ousado como a Carolina e envie-nos um e-mail contando sua motivação, interesses e disponibilidade: blogbrasilcomz@gmail.com  Para mais informações acesse aqui. Blog “Brasil com Z”, um blog feito por brasileiros morando nos quatro cantos do mundo! Sigam-nos no Facebook para atualizações diárias, e no Instagram para ver as fotos da Carolina e de outros autores. Agradecemos!