Hoje no Blog Brasil com Z apresentamos a psicóloga Márcia Guimarães, que nos traz cinco dicas úteis para cuidar de nossa saúde mental e lidar com a situação e efeitos emocionais da crise que afeta de uma forma ou de outra todos os níveis da sociedade, no Brasil e em todo o mundo.

Assista o bate-papo Dicas De Saúde Mental Durante A Crise

com Márcia Guimarães em nosso canal.

 

5 Dicas De Saúde Mental Para Brasileiros No Exterior Durante A Crise

Nesse momento de pandemia vemos e vivemos uma “contração e pausa” forçadas em nossas vidas. Uma contração que nos convida a olhar para dentro, para nossas verdades, para nosso excesso, para o desperdício: de vida, de tempo, de amizades que não fazem sentido; para nossos sonhos engavetados. 

E como Reich coloca que o movimento da vida é de “pulsação” – “contração, expansão e pausa = pulsação”, vejo que o que estamos vivendo é um convite que pode nos levar a uma expansão e pulsação pessoal e na vida. Vamos lá? 

Reuni 5 dicas para que os brasileiros no exterior possam lidar melhor com sua saúde mental durante esse período de crise. 

1. Contato Social Reduzido, Não Significa “Redução” Nas Relações

Mas a possibilidade de uma “seleção” qualitativa. Talvez você já estivesse “meio fechadão” para as novas relações no exterior por dificuldade no idioma, da cultura, etc. mas sabia que tem muito a ver com o seu “jeitão” de ser? 

Se você é uma pessoa retraída, tímida, com dificuldades para fazer amizades no Brasil, você terá esse comportamento em qualquer lugar do mundo. Mas o bacana é que se é um ponto que te incomoda ou atrapalha, isso tem jeito. 

Procure fazer contato com comunidades de Brasileiros na sua localidade. Uma busca rápida pela internet, te fará descobrir um universo deles pertinho de você, inclusive com atividades gratuitas. 

Esse movimento expansivo pode lhe trazer vários benefícios: acolhimento, pertencimento, uma nova possibilidade de utilizar seu tempo, trocas de experiências. Não se feche! 

2. Relação Virtual Não Significa Relação Superficial

É tempo de estreitamento das relações. E você deve estar sentindo mais do que nunca um desejo de presença de seus entes queridos, de casa, de aconchego num momento que desperta tanta vulnerabilidade. 

Ligue, conecte-se, fale sua verdade, perdoe, seja sincero e verá o quanto o poder da verdade pode ser um presente para ambas partes. 

Quando distanciamos nossa visão ganha profundidade e vemos com mais clareza os fatos e situações. O “como” é que dita o tom da relação. “Como” eu comunico o que sinto; “como” estou aberto para compreender o ponto de vista da outra pessoa, “como” entendo o tipo de linguagem de amor da outra pessoa que pode ser diferente da minha; “Como” posso estar de corpo presente e me comportar de forma superficial ou não, assim como no virtual. 

Reflita, se questione! Uma dica de livro que pode te apoiar: “As cinco linguagens de amor – Gary Chapman

3. Tempo Livre: Oportunidades Para Criar Na Crise

Qual é a sua realidade? Home office ou desempregado? Casa: com família, compartilhada ou vive só? Etc. etc. etc. Independente de qual seja, a “oportunidade” do tempo está sendo única, isso é fato. Uma dádiva ou pesadelo? 

A percepção dele também é única: de acordo com o repertório e realidade de cada um. Uns estão trabalhando como nunca, já outros tem tempo de sobra para fazer o que quiser: aquela limpeza e organização profunda na casa ou no espaço de trabalho; e o quanto esse cuidado com o espaço onde vivemos ou passamos a maior parte do nosso tempo faz diferença. Organização e fluidez, refletem em nosso bem estar. Convívio familiar com oportunidade de aprofundamento nas relações, etc.

Muitos estão criando e colocando em prática projetos e sonhos incríveis que estavam engavetados. Estão se reinventando, porque é na pausa que vem a criatividade. Se deram conta que estavam em escolhas equivocadas, trabalhos que não faziam sentido; 

Executando diariamente mil e uma funções no piloto automático e se depararam com três grandes verdades: 

vazio, frustração e possibilidade de fazer diferente, de criar e realmente fazer o que sempre teve vontade, mas nunca tiveram três elementos: 

a coragem, o tempo e a oportunidade. 

Eis o combo dessa crise. Você tem se conectado com seus talentos? Não pense que precisa ser algo grande e inovador. Olhe a seu redor. Como pode contribuir com seus dons e talentos para seus vizinhos, seu bairro, sua comunidade e quem sabe o mundo

4. Porque Escolhi Viver Esse Caminho?

O que te motivou a escolha de viver fora do país, assim como outras escolhas que você faz na sua vida, diz muito de “como” você as vive. 

Essa decisão foi motivada por amor ou por raiva? Foi consciente, planejada e clara ou de forma impulsiva e sem preparação?  

A maneira como você faz suas transições diz muito de como foi sua marca em outras fases de sua vida. O importante é saber que você não precisa seguir repetindo se for negativo. Temos crenças de identidade, merecimento e capacidade que interferem em nossas decisões, sonhos e resultados na vida. 

E identificá-las com humildade é o primeiro passo para mudança. Pedir ajuda a profissionais, amigos, etc. aprender e experimentar outros jeitos de estar na vida, conversar com pessoas que fizeram a transição de país e se deram bem. Inspire e busque casos de sucesso e principalmente: reflita se esse caminho que você escolheu, tem seu coração, se faz sentido para você! 

5. Crise Interna ou Externa

Eu costumo dizer que não necessariamente uma “Crise Externa” como agora no caso do que está acontecendo no ano de 2020, pode mobilizar uma “Crise Interna”. Porém, se esta última possivelmente já estava aí e sendo negligenciada… isso é fato! 

Com maior “tempo livre” somos levados a conectar com a nossas verdades e neles: nossos vazios, angústias, medos, que podem desestabilizar emocionalmente. Aí, as consequências podem ser em vários níveis, de acordo com o tempo, repertório emocional, rede de apoio, etc. Exemplos: separações, luto, depressões, etc.

Seja qual for o seu caso, se precisar procure ajuda. Busque profissionais específicos. Orientações e esclarecimentos pontuais podem ser uma virada de chave importante na sua vida. Rede de apoio como amigos e familiares são imprescindíveis, mesmo de longe. O importante é sentir-se acolhido, ter confiança e não estar sozinho. Não tome decisões importantes se não se sentir seguro e com clareza do próximo passo a dar.

Se você deseja conversar com Márcia Guimarães, de qualquer lugar do planeta, entre em contato diretamente com ela através de seu Instagram @psicologiasunflower ou Facebook @psicologiasunflower.