Skip to content

E aí? Quando volta para o Brasil?

29/06/2011

Carla  – Milão, Itália
 
 

Essa é uma pergunta que ouvimos muito quando estamos fora do “nosso país”, “nossa terra natal”! E outras perguntas são: o que você veio fazer na Itália? Por que a Itália? Como você troca o Brasil, terra linda, calor, praia, carnaval, sol, samba.. pela Itália????

Parece mentira né?  Porém é a pura verdade!

Vou começar do início, a primeira pergunta: quando volto para o Brasil??

Primeiro, estou aqui há pouco tempo, vim para cá com objetivos e metas traçados, então não volto até atingi-los, ou até eu estar satisfeita com tudo e querer voltar. Acredito que todos que deixam o seu país para viver num outro tenham suas metas, e mais do que isso, procuram algo, algo com o que se identifiquem, etc.

Adorei o que o Edu escreveu, e penso muito como ele.

Não é porque sou brasileira que tenho que morrer lá! Viver para sempre lá! Não temos essa obrigação. O importante é estar bem, feliz, saber se adaptar a uma cultura diversa, aceitar e respeitar. Voltar é relativo. Depende da situação! Se estiver bem e satisfeito, pra quê voltar?

Bem, no meu caso, seria por causa da família e amigos. Principalmente família. Pois com o restante, estou satisfeita aqui. E se um dia achar que tenho que voltar, voltarei.

Segundo: O que eu vim fazer na Itália? Por que a Itália?

Pois é, sempre tive vontade de sair do Brasil, curiosidade em conhecer outros países, culturas diversas, outro clima, outras paisagens. Quando comecei estudar idiomas (italiano em 1997 e espanhol em 1998) eu alimentava a esperança de um dia ir para algum lugar. Sempre tive na cabeça que eu era uma “cidadã do mundo”! E a Itália foi a primeira porta aberta, já que casei com um cidadão italiano, já que eu falava a língua, já que eu era curiosa pela cultura, a história, culinária e todo o charme italiano. E não é porque vim para cá que será meu único destino antes de voltar para o Brasil! Não se esqueçam: sou uma cidadã do mundo. Aqui é minha primeira parada, e se Deus quiser ainda virão algumas por aí!

Sair de casa, do país nos acrescenta tanta coisa. Amadurecemos, aprendemos tanto, abrimos nossa mente, sofremos uma transformação. Nunca mais seremos os mesmos, e isso é ótimo! Recomendo a todos viverem essa experiência, em qualquer idade! (Leiam 10 coisas que aprendi vivendo em um outro país)

E não é porque eu sou brasileira, no caso, que só saí do Brasil porque pensam que é um país problemático, com muita pobreza, violência, etc. Não! Qualquer pessoa, de qualquer nacionalidade deve viver a experiência de viver num outro país!

Saudades de casa sempre sentimos, mas não que isso nos mate, ou nos faça voltar correndo! Voltar? Hummm, não temos planos… quem sabe uns 5 anos??? Baci a tutti!

Carla Guanais é cientista, blogueira e mora na Itália desde 2010. Saiba mais sobre ela clicando aqui.

10 Comentários leave one →
  1. 30/06/2011 9:11

    Pois é, o meu post trata um pouco dessa “obrigaçao” de voltar. Eu sempre pensei o seguinte, cada pessoa tem que ter a sorte de nascer em um país que tenha a ver com seu perfil. Se você adora sol, samba, choppinho gelado e futebol, e nasce no Rio de Janeiro, otimo. Agora imagina se essa mesma pessoa nasce em Dublin ? Eu nunca me identifiquei com minha cidade natal, daí a necessidade da mudança. Depois vêm outras coisas que também te “empurram” pra fora: violência, organizaçao, qualidade de vida, etc…

    A Carla disse uma coisa importante. O mundo está aí para ser visto. Se você pode experimentar novos sabores, novas sensaçoes, aprender outro idioma, se socializar com pessoas de culturas diferentes e conhecer novos lugares, por que ficar preso à sua rua ou ao seu bairro ?

    O ser humano é muito apegado as suas coisas (eu sou o primeiro), já ouvi dizer que esse apêgo tem muito a ver com nossa cultura, existem povos que sao mais desapegados. Pode ser. Se você vai sofrer, entao nao tente, mas eu acho que os erros nos ensinam e nos fazem amadurecer. Se tem uma coisa ruim é se arrepender por nao ter feito algo.

  2. 30/06/2011 13:52

    O clima da Holanda está deteriorando minha saúde. No inverno fico com frequencia gripadissima e na primavera fico baqueada com o pólen no ar (que é tão intenso que há dias que parece neve e temos que acionar o pára-brisa do carro). A alergia ao pólen chega ao ponto de as vezes eu nem conseguir abrir os olhos nem ter equilibrio para andar e dor na barriga de tanto espirrar. Mas a segurança de morar em casas sem portão, o motorista do ônibus parar gentilmente e no minuto exato do horário estabelecido, não ver uma ponta de cigarro nas ruas da cidadezinha onde vivo e tanto silêncio, belos jardins, canais com cisnes e arborização… isso tudo também oferece muito alento e colírio para os olhos.

    • toucheguy permalink
      10/11/2014 20:26

      oi, Ana, vamos ver o lado positivo? melhor ter crise alérgica por se respirar PÓLEN que CO2 de escapamentos de carro…

  3. 30/06/2011 21:46

    Adorei a frase: “Qualquer pessoa, de qualquer nacionalidade deve viver a experiência de viver num outro país!”.

    Acho que as pessoas seriam mais tolerantes se isso acontecesse mais.

    Ótimo post.

    Vicky

  4. Mariana permalink
    03/07/2011 23:11

    Edu, acho fantástico como vc consegue traduzir em palavras o que penso e eu não conseguia expressar da mesma maneira.
    Outro dia,sem querer, fiz pra uma amiga uma analogia bem babaca, mas foi a única que passou perto de conseguir expressar o morar fora ( e tvz não voltar) .Imagino que vcs que estão fora, também o sintam.
    É a’ analogia do sorvete de creme’ (bom, eu falei que era babaca, surgiu numa cafeteria enquanto via uma moça se esbaldar num sorvete de baunilha).

    Isso surgiu pelas inúmeras vezes que recebi olhares desaprovantes, como se eu fosse louquinha ou sem noção, quando dizia que não seria em São Paulo que eu gostaria de fazer minha vida.(Estou terminando os estudos e em início de vida profissional, ou seja, tentando com mto esforço fazer uma vida adulta)
    Porque acho que mereço mais, pq acho que posso ter mais qualidade de vida. Mas principalmente: pq tem um mundo inteiro lá fora a ser experimentado: culturas, valores, rotinas, línguas, pessoas. Enfim, motivos que pra vcs que aqui escrevem, são muito conhecidos.

    Vejo uma fila de pessoas uma a uma, pedindo seu devido sorvete. E a variedade de opções é enorme: pistache,amora, chocolate com blueberry, café, pimenta, tem até sorvete de sal.E vejo uma a uma, saindo com um sorvete de creme na mão.

    E me pergunto perplexa: dentre TANTAS opções, POR QUE um simples sorvete de creme ( e aí vai meu julgamento moral, nunca fui mto fã de creme, acho meio sem graça)???
    Pq não o pistache com amora? O de banana? E me pego muitas vezes pensando: poxa vida, que escolha mais pobre.Não vai ao menos experimentar o de caqui só pra ver como é? Na brincadeira da analogia, coloquei hipóteses por escolherem tanto o de creme:

    – não sabem que existem tantas outras opções.Ou que elas são possíveis
    – sorvete de creme é bom, e os outros ali.. ah, eles são bem mais caros e nem sei se são tão bons. Prefiro ficar com o de creme.
    – até sabem, mas como todos escolhem o de creme e isso os satisfaz, tá bom assim
    – morrem de medo de experimentar outra coisa. E se der alergia? Melhor ficar com o sorvete de creme
    – acham todas aquelas outras opções estranhas demais. Seus avós sempre pediram o de creme, seus pais também, pra vc, é óbvio, o sorvete de creme é bem mais gostoso!Magina que vc iria pedir um sorvete verde!?Deus me livre! E bizarras são as pessoas que comem isso!

    Não acho sorvete de creme melhor ou pior, só sei que no momento não me satisfaz.Quero experimentar outros e quem sabe depois de alguns anos, olhe pro creme, dê saudades e ali veja que eu quero aquele sorvetinho de volta 🙂

  5. 03/08/2011 20:40

    Amo a Europa!!! Meu marido cada vez que vai pra lá fica deprê qdo volta…Mas amo o Brasil moramos no sul em uma pacata cidade de colonização alemã, onde não temos muitos problemas comuns ao restante do país…Amo viajar mas amo poder voltar, gostar ou não de algum lugar tem muito de o que você encara necessário para ser feliz…é algo muito pessoal. Percebo isso em cada comentário que lí nesse blog. As pessoas são muito diferentes umas das outras graças a Deus!!! A variedade torna a vida linda…Amei ler e poder viver um pouquinho de suas vidas…acho que na verdade deveríamos viver para sempre, e aproveitar cada uma dessas experiências…90 anos é tão pouquinho…ah e esse mundo é tão incrível !!!! Beijos do Sul!!

  6. Fabiana permalink
    03/12/2012 3:52

    oi karla, eu moro no Mexico a 4 anos, penso um dia em voltar para o Brasil mas antes quero parar em pelo menos algum outro pais. Como tenho 2 filhos pquenos peso outras coisas como seguranca, saude e educacao que a aventura, mas adoraria morar na Italia ou Australia!! Quem sabe um dia…
    Karla,vc que curte culinária nao poderia mandar uma receita boa de panetone? É que aqui eles sao sofriveis e pela internet testei umas receitas que nao gostei nada…e a saudade de um panetone nessas horas faz a gente ter vontade de encarar a cozinha, rss…Se quiser alguma dica daqui no Mexico cim mucho gusto, embora de vdd nao entenda que graça o povo ve na comida daqui, rss…

    Bjs!!

    Fabiana

    • sonhosnaitalia permalink
      03/12/2012 9:04

      Olá Fabiana, nossa.. mora no México! sou curiosa para saber como é a vida aí…. é um país que nunca cogitei morar! Vc podia colaborar com o Brasil com Z contando-nos alguma coisa daí não?? rs… Segurança, educação e saúde… são sempre esses os fatores que nos mantém fora do Brasil.. infelizmente! Nunca fiz panetone… ja tentou receitas de sites italianos? talvez seria o mais confiável..rs. Da pra traduzir o site ou os nomes que nao conseguir entender, pelo google. prove esse: http://ricette.giallozafferano.it/Panettone.html baci

  7. Valeria Amado Maradei permalink
    12/01/2017 1:12

    Oi Carla, morei quase 15 anos no Mexico, bom na epoca nao consideravamos Cancun parte do Mexico, porque a maioria dos que la viviamos eramos etrangeiros ou indigenas maya. Foi incrivel mas decidi voltar devido a saude da minha mae. Hoje estou ha 14 anos aqui e francamente nunca mais fui feliz. Agora estou a ponto de mudar para a Italia…nao vejo a hora.

    • 12/01/2017 13:30

      nossa, que pena que não se readaptou.. mesmo depois de tanto tempo que voltou. Mas a gente vira forasteiro e encontrar novos horizontes nos faz sentir mais vimos.Boa sorte na sua vinda à Italia. baci.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: