bz_holandaAna Fonseca, Holanda

Eu já publiquei aqui há anos atrás novos hábitos que adquiri na Holanda.

Vamos a mais alguns:

1)      Levar fruta pra todo lado. Se eu vou dar um passeio durante algumas horas em Amsterdam ou qualquer cidade eu levo uma banana, uma maçã, potinho com uvas. Lógico, me dá energia sem eu precisar comprar porcaria na rua nem ficar enrolando o estômago com biscoitinhos.  Muitos holandeses comem religiosamente uma maçã depois do almoço. Meu marido está na fase das tangerinas e peras – todo santo dia. Meus filhos levam sempre para a pausa das 10h da manhã uma fruta, como a maioria das crianças da escola deles.

2)      Levar mantimentos e produtos de limpeza  ao sair de férias. Muuuitos holandeses que saem de férias pela Europa  fazem isso, principalmente batatas, maçãs, molho de tomate, etc. para os primeiros dias. Ora, claro que se eu vou de férias para a Espanha ou França eu compro sempre com imenso prazer nos supermercado de lá. Mas ter o basicão no seu camping ou casa alugada é uma mão na roda. Eu concluí que muitos produtos na França são superiores aos da Holanda (frutas, legumes, queijos, frango, presuntos etc.).  Mas também mais caros. Por isso produtos não perecíveis levo mesmo da Holanda, tais como  pacotes de aveia, mel, semente de linho, feijão cru, molho de tomate, macarrão, chocolate, caixas de leite de soja, azeite, detergentes, esponja, sal  etc. E volto com latas de pato na gordura, patês, vinhos e algumas especialidades locais (arroz da Camargue, crème caramel au beurre salé, refil de sabonete líquido, ervas secas da Provença, etc.). Compensa.

3)      Na rua, olhar para a esquerda e direita. E pra frente, pra tras, pra baixo. O trânsito na Holanda não é caótico. Mas é carregado. Tem bonde, tem bicicleta. Um montão de bicicleta, com ciclistas super street wise e que se acham os tais e impõem seus direitos e preferências. E só freiam no pedal muito a contra gosto. Chove muito e tem guarda-chuva pontudo pra todo lado, e você de capuz fica com a visão lateral um pouco bloqueada. O parceiro de um colega de trabalho morreu atropelado por um bonde. Uma outra colega colidiu com um bonde e nunca mais foi a mesma. Eu atrás de um volante já levei lição de moral de holandês cilcista que achou que eu não prestei atenção ao filho dele que estava na bicicileta. Então leitores, estejam avisados: toda precaução é pouca.

4)      Eu me planejo. Consulto o weer.nl para saber o tempo, a cada dia. O ns.nl para saber os horários de trens, plataformas, duração da viagem. Connexxion para saber o horário dos ônibus. Eu vejo as auto estradas engarrafadas pela internet antes de ir fazer uma visita a alguém numa outra cidade. Isso tudo facilita a vida pra quem tem que pegar o transporte público ou dirigir, mas te deixa num estado permanente de alerta. Assim é a vida na Holanda: planejamento, preparação, logística, pontualidade.

5)      Esperar pelas liquidações e comprar artigos duplicados. Em janeiro há excelentes promoções e descontos (“korting”. Não confundir com “opruiming” que é queima de estoque ou fechamento da loja identificado pelo sinal “OP = OP”). Depois do verão idem. E aprendi que muitas mães compram vários artigos com um número maior para os filhos pequenos nas promoções. Claro, em um ano as crianças já não cabem mais e aí você puxa do armário aquela calça jeans novinha cujo preço normal era 30 euros mas você pagou 10 eurinhos. Se eu encontrar calças pretas de modelo clássico das minhas marcas favoritas compro dois ou tres unidades do mesmo modelo quando estão na promoção.  Lógico, vão ser muitíssimo úteis nos próximos anos quando eu trabalhar ir a encontros sociais, etc.. Há tantas liquidações na Holanda nesses últimos anos que eu praticamente já não pago mais o preço normal para artigos de vestuário.

6)      Ter moedas em casa sempre. Multa por dia de atraso na bilbioteca; 10 centavos. Custo de usar um toalete em lojas (Hema, lojas de departamentos, cafés, etc.) 25 a 50 centavos. Toda segunda feira doação de 25 centavos “para a criança pobre” que minha filha dá na escola. É uma campanha de coleta que se estende por todo o ano escolar para arrecadar fundos para escolas na Ásia e África.  No fim do ano dou um euro para cada entregador de jornal / correspondência que trabalhou durante o ano. Estacionamento em Zaandam, também só se for pago. Ufa, haja moedas !

________________

Ana Fonseca adora Amsterdã. Curtam nossa página no FB e nossa conta no Twitter para atualizações da vida no exterior. Quer ver fotos lindas de Amsterdã e outras cidades pelo mundo? Sigam nosso perfil no Instagram. Blog Brasil com Z, um blog feito por expatriados brasileiros, vivendo nos quatro cantos do mundo!