EUARenata Kotscho Velloso – San Francisco, EUA

 

Eu estava preparando algo bem simples: sobrecoxa de frango assada com batatas e cenouras. Aquele tipo de prato que a gente faz quando está com preguiça. Coloca os ingredientes dentro de uma assadeira, rega com azeite, um pouco de sal e sem muto esforço ou sujeira em cerca de 40 minutos está pronto.

Foi quando a mãe de uma amiga da minha filha chegou para buscar a menina que estava passando a tarde conosco:

– O que você está fazendo?
– Cozinhando o jantar.
– Você cozinha?? Assim do ZERO? Posso ver???

E ela entrou na minha cozinha interessadíssima. Devia fazer anos que ela não via ninguém cozinhando a própria comida, usando ingredientes frescos, no forno convencional. A surpresa, para você terem uma ideia foi a mesma do que seu eu tivesse dito que estava costurando a minha própria roupa de festa. Por que no final das contas a mudança é a mesma.

Quando eu era adolescente a gente gostava muito de ir para Itapuí, uma cidade no interior de São Paulo onde minha mãe cresceu. Lá, todo ano tinha uma festa do Havaí que dava muito trabalho para as moças prendadas da cidade. Praticamente todo mundo fazia a sua própria fantasia e a disputa era grande na loja de tecidos. Hoje pouquíssima gente costura a própria roupa. Ficou muito mais barato comprar pronto. O mesmo está acontecendo com a comida. Pelo menos aqui nos EUA.

Hoje é possível comprar comida pronta de qualquer qualidade, mais barato do que se você fosse preparar. Não estou falando só das redes de fast food e da oferta enorme de comida congelada. Agora, mesmo para quem é super gourmet e exigente consegue comer comida pronta em casa a um custo menor do que se fosse preparar essa mesma comida comprando os ingredientes no supermercado.

Aqui onde eu moro, por exemplo, tem um serviço chamado Munchery. Eles convidam chefs de restaurantes estrelados para trabalharem de manhã (quando normalmente estão de folga). Cada chef prepara 2 ou 3 pratos com os ingredientes de época. Você escolhe por um aplicativo no celular o que quer comer e a hora que a sua refeição será entregue no final do dia. Ai é só esquentar no forno ou no microondas e voilá, você tem uma comida em casa preparada por um chef.

Eu comparei o preço de um rosbife com batatas e vegetais no vapor acompanhado de um brownie de marshmalow para sobremesa que eu comprei no Munchery semana passada. A refeição pronta custou 68 dólares para 5 pessoas. Se eu tivesse comprado os ingredientes no supermercado para fazer essa mesma refeição teria gasto 73 dólares.

No Munchery é possível pedir pratos preparados por chefs famosos e comer em casa.

No Munchery é possível pedir pratos preparados por chefs famosos e comer em casa.

Eu, modéstia a parte,  cozinho bem, e gosto de preparar as refeições da minha família. Mas está ficando meio covardia  cozinhar se eu posso ter uma comida mais prática, mais barata e confesso, mais gostosa, através de um serviço de entrega.

Essa é a realidade aqui e eu acredito que seja a tendência no mundo todo. Cozinhar nos EUA virou um hobbie, assim como costurar ou tirar fotografias com filme. Por um lado é ótimo, é prático, sem dúvida. Por outro lado eu acho que a gente perde um pouco do carinho que é cozinhar para quem a gente ama. Assim como eu guardo até hoje com carinho as lembranças dos vestidinhos que a minha mãe e a minha tia faziam para mim e as minhas primas sairmos combinando. E vocês, o que acham dessa tendência?

*Renata Velloso é médica e autora do Bulle de Beauté e também é responsável pelo projeto Doctors on the Cloud . Para saber mais sobre ela  clique aqui.