Pular para o conteúdo

Onde comer e beber tapas maravilhosas em Zaragoza? El Tubo!

02/07/2018

Ana Fonseca – Zaragoza, Espanha

Continuando nossas postagens sobre Saragossa (Veja os textos anteriores aqui e aqui), vamos hoje fazer uma abordagem gastronômica. Se você está procurando um lugar bem autêntico em Saragossa para comer tapas, “hamburguesas” e “raciones” e beber umas cervejas, simplesmente vá direto ao El Tubo. É bem central, e um par de passos de onde fiquei via Airbnb, na Praça San Felipe.

Essa área da cidade de Zaragoza tem ruas estreitas, apertadinhas mesmo. Daí o nome “El Tubo”.  Pela internet tínhamos visto que a área estava compreendida entre duas ruas: Calle Estébanes e a Calle Libertad. Porém, mais ruas estão se juntando com o passar do tempo a essa vocação gastronômica.

Eu tirei várias fotos na área na parte da tarde para vocês terem uma impressão da atmosfera (e das opções de comidas) do lugar. Dá para fazer uma “rota de tapas” bem interessante por lá, nesses bares da vida.

Até os anos 90 do século passado essa era uma área perigosa, um inferninho a céu aberto. Ainda dá para ver lojas do tipo “Sex Shop”, casas de aposta e um ou outro bordelzinho (acho que eram, não sei).

Mas atualmente as ruas são seguras.  No dia da nossa chegada à Zaragoza, minha filha passou muito mal no carro quando descemos de Montserrat, portanto meu marido foi ao El Tubo à noite só com meu filho. Achou tranquilo, com caráter próprio e dias depois eu e ele passamos lá para comer tapas pela tarde, quando as crianças descansavam no apartamento exaustas depois de passar a manhã visitando museus. Eu gostei tanto que as levei para jantar tapas à noite na área do El Tubo, no mesmo dia.

Acima: um bar especializado só em frutos do mar. Abaixo: nem me pergunte o que é, não sei! (rs)

Os horários para almoçar e jantar em Zaragoza são estranhos. Aqui é uma região que preza muito a “siesta”.  Quando eu estava com meu marido no bar  “Bodega Almau”, depois do nosso segundo pedido, mesmo cheio de clientes turistas o bar começou a recolher as mesas do lado de fora e se preparar para fechar. Isso eram 15h30 da tarde. Eu até queria consumir mais – porém, tivemos que partir. Isso é uma coisa SUPER ESTRANHA na Espanha.

No “Almau” nós pedimos primeiro 2 croquetes de merluza com camarão, e outros dois de jamón. Maravilhosos. Mais uma cava e uma cerveja. Saiu por exatos 11EUR. Logo depois, pedimos as especialidades da casa: anchovas sobre torradas – eles tem uns 5 tipos, incluindo uma chamada “Dulce” que leva (além da anchova) cream cheese, marmelada de tomate, anchova e raspas de chocolate amargo – essa ganhou um prêmio numa competição local de tapas, me informou o garçom. Pedimos uma anchova “Explosión” e um anchova “Garum” (veja abaixo), mais uma cerveja, total 7EUR. Super barato!

Um outro lugar que comemos em El Tubo, dessa vez à noite, e superou todas nossas expectativas: “Bodeguilla Los Rotos”. Lendo as opções de tapas y raciones na entrada do estabelecimento e depois no cardápio sobre a mesa, não me entusiasmei muito. Isso porque tinham saladas, hambúrgueres, pratos de arroz… sem graça. Mas minha filha depois de dois dias de purezinhos de batata precisava comer algo sólido, e pedimos pinchos morunos (ela ama, espetinhos de carne de porco) e um prato de “setas con jamón” (um tipo de cogumelo muito delicioso, comum também na França) para o resto da família.

Acima: pinchos morunos. Abaixo: setas com jamón – feio, mas deliciosíssimo!

Depois disso, fui ao balcão do Los Rotos e me maravilhei. Empanadas argentinas, gyozas (pasteizinhos orientais), croquetes de lagosta, peixe e camarão… Ignore o que está listado no cardápio. Simplesmente ignore, é bobo. Vá ao bar, e basta apontar o que quer comer, dizer onde está sua mesa e o atendente vai fritar a porção e levar até você. O balcão estava cheíssimo de gente, e suei para conseguir fazer umas fotos, pedindo “perdão” e sorrindo – compreendo agora o porquê de alguns locais detestarem turistas, ha!

Tudo aqui é bom, bonito e barato. Comemos várias coisinhas, nada do balcão tinha preço exposto… Final da conta no “Bodeguilla Los Rotos”, incluindo também duas cervejas e três “iced tea”: 34EUR. Muito bom preço! Se pudesse, voltaria lá diversas vezes.

Saímos dali e as crianças não queriam mais nada. Meu marido queria ainda uma cerveja e um desejo de consumir uma porção de “qualquer coisa com molho e quente” (oi?). Fomos ao “El Balcón del Tubo”, bem tradicional, com um grande jamón na entrada e mesas cheias de turistas consumido anéis de lula fritas, tortillas, croquetes, torresmos, esse tipo de coisa. Eu já estava cansada, meu marido me enviou para o bar com a tarefa vaga de “pedir qualquer coisa com molho”. Procurei algo exótico, e perguntei ao atendente o que eram “callos de bacalao”. Ele disse que era “como estômago”, mas que “bacalao no tenía estômago”…. Deu nó na minha cabeça a tal lógica. Perguntei se eram “tripas” e ele meio que concordou. O pratinho tinha um molho MUITO bom, quente e que te abraça, mas os pedacinhos de tripas mergulhados no molho eram meio gelatinosos. Molhei um pedaço de pão e já foi o suficiente. Meu marido amou. Eu não comeria isso uma segunda vez…

Acima: o tradiconalíssimo “El Balcón del Tubo”. Abaixo: o tal do “callos de bacalao”. 

Na Espanha, eu não senti falta nenhuma das maravilhosas comidas francesas, ou dos pratos holandeses e brasileiros aos quais estou acostumada a fazer. Poderia ficar muito tempo na Espanha comendo tapas todas as noites, tranquilamente. 😍😋

Há diversos bares e bodegas pela “zona de tapeo” El Tubo. Sugiro que não se prendam a um só lugar lá no El Tubo e comam tapas em diferentes estabelecimentos. Porque há muita coisa pelo El Tubo!

Logo, logo volto aqui no blog para falar mais sobre outras atrações da cidade de Zaragoza. Por hoje, é só. Hasta luego!

*Todas as fotos desse post: arquivo pessoal da autora, Ana Fonseca.

SERVIÇO:

Turistas de primeira viagem à Espanha tendem a pensar que todos os bares de tapas servem exatamente sempre as mesmas coisas, eternamente: bocadillo de calamares, gambas a la plancha, croquetas, jamón, pimientos de padrón, pescaditos, tortillitas, patatas bravas, esse tipo… Não é verdade. Há alguns estabelecimentos que se especializam em pescados e frutos do mar servidos de maneira bem original; outros servem só pinchos bascos; e outros servem tanto do “mar y muntanya” como vi na Catalunha. E por aí vai. Saragossa me surpreendeu pela qualidade e variedade de tapas únicas, mini obras de arte.

Bodega Almau, especialidades em anchovas: Calle de los Estébanes 10, Zaragoza

Bodeguilla Los Rotos, tem de tudo um pouco e também internacional: Calle Libertad, 9, 50003 Zaragoza

El Balcón del Tubo, tipicamente e estritamente espanhol: Calle Estébanes, 7, 50003 Zaragoza

_______________

Ana Fonseca mora na Holanda e administra o BZ, um blog feito por brasileiros expatriados vivendo nos quatro cantos do mundo. Dicas de turismo, viagens e culinária, diferenças e choques culturais, as dificuldades em se fazer novos amigos e integrar-se, estudo e trabalho no exterior… falamos sobre tudo isso por aqui, e muito mais! Gostou do que leu? Então curta nossa página do Blog Brasil com Z no Facebook, nossa conta no Twitter e Instagram e compartilhe nossas postagens com seus contatos. Agradecemos! Mora no exterior, gosta de escrever e quer se candidatar a participar mensalmente do BZ? Seja ousado (a) e escreva-nos um e-mail contando quem você é e sua motivação para fazer parte da equipe de autores: blogbrasilcomz@gmail.com Boa-sorte! 

 

 

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: