Pular para o conteúdo

10 lugares fantásticos em Milão que você deve conhecer!

25/02/2019

Carolina Martins – Milão, Itália
Ciao! Toda cidade tem lugares de visita “obrigatória”. Aqui selecionei 10 deles em Milão, adoro esses lugares e mesmo sendo considerados turísticos, os moradores e eu, frequentamos no dia-a-dia. Milão é uma cidade fantástica e garanto que você vai adorar conhecer. Vamos lá!
Duomo
Meu lugar predileto em Milão e não precisa de apresentação (leia aqui o post que fiz exclusivamente para ele). O Duomo é feito em mármore branco-rosa de Candoglia, todo ornamentado e cheio de lendas e de uma beleza ímpar, com estátuas como a de São Bartolomeu que segura sua própria pele em sinal de seu martírio, e algumas outras estranhas como a de pugilistas e uma raquete de tênis. Além da primeira Estátua da Liberdade na sua fachada, feita 70 anos antes da americana e serviu de inspiração para essa. São 3.400 estátuas no total, 135 gárgulas e 700 outras figuras.
Um dos pregos sagrados da cruz de Jesus também está no Duomo, e pode ser visto por todos nós no segundo sábado de setembro, por dois dias.

DUOMOO Duomo é passagem obrigatória quando se vem a Milão.

Galleria Vittorio Emanuele II
Galeria em estilo neo renascentista em forma de cruz, liga o Duomo ao Teatro Scala e é chamada de “salotto” de Milão e segundo um regulamento todas as lojas no seu interno tem seu nome escrito em dourado com fundo preto. Dá pra ser mais elegante? Sempre que ando pela Galeria que tem a Prada, Louis Vuitton, Montblanc e tantas outras, me sinto luxuosa, você precisa visitar!

Galleria-Vittorio-Emanuele3É ou não é um luxo a Galleria Vittorio Emanuele?

A superstição diz que para retornar a Roma o turista deve jogar uma moedinha na Fontana di Trevi, de costas e olhos fechados. E para retornar a Milão? Bom, a solução, bem menos elegante é girar 3 vezes o calcanhar direito nas partes íntimas do touro que se encontrar no chão de mosaico da Galeria. Isso garante o retorno a cidade. Esse ritual é feito tantas vezes que ele deve ser sempre restaurado.
Galleria-Vittorio-Emanuele

Coitado do Touro

Teatro alla Scala
É o teatro de óperas de Milão e o maior teatro lírico do mundo. Foi inaugurado em 1778 e depois inspirou a Ópera de Viena. Particularmente eu não acho ele muito bonito por fora, talvez por ficar do lado da Galeria Vittorio Emanuele e perto do Duomo ele fique mais “feinho” em comparação, mas por dentro ele é um espetáculo único.
Uma curiosidade é que seu famoso lampadário com 400 lâmpadas não é todo de cristal, mas sim de plástico em algumas partes. Não por motivos econômicos, mas de segurança: ele ficaria muito pesado. O atual lampadário é uma cópia daquele que foi destruído nos bombardeios da Segunda Guerra Mundial. Para limpá-lo, demora vinte dias!
 

Comprar um dos disputadíssimos bilhetes para as óperas é um exercício de paciência, mas mesmo não conseguindo é possível visitar o museu. 

Quadrilatero della moda
Milão é sem dúvidas a capital da moda. E o”Quadrilátero de ouro da moda” que é composto por quatro ruas (Via Montenapoleone, Via Alessandro Manzoni, Via della Spiga e Corso Venezia) é onde os melhores estilistas oferecem suas melhores criações.
Passear pelo Quadrilátero é uma oportunidade única para respirarmos a mágia de Milão entre as lindas luzes das lojas, a elegância dos atêlies, o charme das perfumarias, cercados pelas maiores marcas: Armani, Versace, Dolce e Gabbana, Prada, Louis Vuitton, Chanel, Gucci, Bulgari, Cartier, Valentino.
Quadrilatero-della-moda

Já encontrei uma das Spice Girls aqui.

É considerada uma das ruas mais caras do mundo junto com a Quinta Avenida em Nova York e Champs Elysees em Paris.
Andando pelo Quadrilátero você se sente em uma passarela e às vezes é possível encontrar algum famoso fazendo compras.
Chiesa San Bernardino alle Ossa
Já disse no post do Duomo e no post do Castelo do Drácula na Romênia que eu adoro coisas macabras. Então, essa igreja fica pertinho do Duomo, e contém ossos humanos, sim, crânios, tíbias, de adultos e crianças que cobrem as paredes da capela.
Sendo um lugar macabro assim, existem várias hipóteses e lendas da origem dos ossos: pela peste, ossos dos mártires cristãos guiados por São Ambrósio contra os arianos, mortos pela invasão bárbara no ano de 539, pacientes do hospital que ficava ao lado, e tantas outras.
Uma lenda narra que um esqueleto de uma menininha que fica do lado esquerdo do altar do ossário, no dia de finados volta a vida e dança com os outros ossos a “dança dos mortos”.
Olhando para cima, em uma caixinha de madeira alguns ossos de assassinos ainda estão “presos” para a eternidade.
Chiesa San Bernardino alle Ossa
Qual será a história de cada um desses ossos?
A entrada é gratuita e sempre fico uma meia hora sentada ali, muitas vezes sozinha, tentando imaginar a história de cada um daqueles ossos. É um lugar realmente surpreendente de Milão.
Cenaculo Vinciano
A Última Ceia de Leonardo da Vinci em Milão (imagem abaixo), é passagem obrigatória também, você já percebeu que sempre que pensa na imagem da Santa Ceia vem essa pintura a mente? Leonardo da Vinci praticamente criou o retrato dessa história bíblica. Você tem que ver! Ele foi pintado na parede onde era o refeitório do Convento di Santa Maria delle Grazie e confesso que sai muito emocionada ao vê-lo, com o tempo a pintura está se apagando e é muito triste saber que uma obra dessa importância está acabando.
Cenaculo-Vinciano
Para visitá-lo você deve se organizar bem, os ingressos são super concorridos e é praticamente impossível comprar na hora.
Castello Sforzesco
O Sforzesco fica numa linha reta saindo do Duomo, e o caminho entre eles é uma rua linda, cheia de restaurantes, sorveterias, lojas e é um dos passeios que acho mais bacanas em Milão. Dentro dele, no pátio, é possível comer um lanchinho, conversar, ficar horas tomando sol (no verão e primavera) e ver os turistas e moradores passeando. O Castelo é também um importante museu de instrumentos musicais, de arte decorativa, arte pré-histórica entre outros e minha obra favorita ali que é a Pietà Rondanini, escultura não finalizada de Michelângelo que seria usada para seu túmulo, porém ele morreu antes de termina-la. Os ingressos são comprados na hora.
Castello-Sforzesco

Uma dica bem legal é que todo primeiro domingo do mês nos museus a entrada é gratuita. Então, se vier a Milão e gostar de museus, reserve o primeiro domingo do mês.

 Aproveite e faça um passeio no Parque Sempione, antes jardim do Castelo e exclusivo da família real, hoje é um dos lugares preferidos dos milaneses. Eu fico horas ali relaxando com a vista do Castelo de um lado e o Arco della Pace de outro.
Navigli
São dois canais antes usados para transportes de mercadorias de Milão, hoje uma das zonas mais frequentadas e amadas de turistas e moradores. Sempre faço o caminho saindo do Duomo, passando pela Via Torino, chegando a Porta Ticinese e na piazza XXIV Maggio, demoro cerca de meia hora, as vezes demoro mais porque a Via Torino é facil distrair com várias lojas bem legais.
Navigli

Um dos canais que formam o Navigli.

No Navigli existem vários barzinhos, restaurantes onde os milaneses e turistas fazem o “aperitivo” que é o nosso Happy Hour com a diferença que se come (quantas vezes quiser repetir) os buffets disponíveis. Basta comprar uma bebida, cerveja, vinho, um drink, e o buffet é incluso. Eu, e a maior parte daqueles que fazem o aperitivo, já aproveitam e fazem o “apericena”, aperitivo + cena (jantar).
Cimitero Monumentale
Cheio de obras de arte funerárias clássicas e contemporâneas com templos gregos e obeliscos o cemitério monumental é um museu a céu aberto. Sua entrada principal, chamada de Famedio, foi pensada para ser uma igreja inicialmente e alguns monumentos fúnebres de famílias milanesas importantes como Pirelli e Campari estão alí. Abandonado no fundo do cemitério tem o primeiro crematório da Europa e andando por ele muitas vezes esqueço que é um cemitério, ele é enorme e cheio de esculturas.
Cimitero-Monumentale

Famedio, entrada do Monumentale

Pinacoteca di Brera
Um dos museus mais importantes do mundo, com obras como “Achando o corpo de São Marcos”, de Tintoretto; “O Beijo”, de Francesco Hayez, “O Casamento da Virgem”, de Rafael, e em especial “Lamento sobre Cristo Morto”, de Mantegna.
Pinacoteca

Essa escultura no meio é Napoleão em vestes de “Marte Pacificador”.

A Pinacoteca tem entrada gratuita no primeiro domingo do mês e vale muito a visita, principalmente para quem assim como eu adora museus. Independente das obras em exposição, o prédio da Pinacoteca é uma obra de arte por si só.
Com essa lista de 10 lugares fica difícil não se apaixonar por Milão.
Até a próxima! Bacio!
*Todas as fotos desse post são de autoria da própria autora, Carolina Martins
_____________________
Carolina Martins é paulistana e mora atualmente em Milão, onde estuda confeitaria. Para saber mais sobre ela e a conta pessoal no Instagram acesse aqui a mini biografia. Mora no exterior, gosta de escrever e quer concorrer a participar do blog “Brasil com Z” como autor ou colaborador? Seja ousado como a Carolina e envie-nos um e-mail contando sua motivação, interesses e disponibilidade: blogbrasilcomz@gmail.com  Para mais informações acesse aqui. Blog “Brasil com Z”, um blog feito por brasileiros morando nos quatro cantos do mundo! Sigam-nos no Facebook para atualizações diárias, e no Instagram para ver as fotos da Carolina e de outros autores. Agradecemos!
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: