Edu
A Coruña, Espanha

 

 

A Espanha é mundialmente conhecida por sua cozinha mediterrânea. O país tem uma riqueza gastronômica inquestionável, porém no que se refere a doces, acho que ainda tem muito que aprender, principalmente para quem vem do Brasil, e está acostumado com tanta coisa gostosa como quindim, cocada, pavês e outras guloseimas nacionais.

Para começar, na Espanha o povo adora colocar nata em tudo. Nata em sorvete, nata em folheados, nata em bolos, etc…  Tem uns doces que tem uma nata rosa, outros que a nata é azul, que dá um aspecto muito esquisito ao doce… Me faz lembras aqueles ovos rosados dos botecos no Rio de Janeiro.

Outra coisa que é amplamente usada na Espanha que eu odeio:  frutas cristalizadas! Eca!!! Existe um doce específico que para mim é o campeão dos piores, principalmente porque reúne nata e frutas cristalizadas. E não pensem que vem com pouca nata não… Vem com MUITA nata (no recheio!) e para piorar é salpicado de frutas cristalizadas. Uma bomba calórica que nem gostosa é… O nome do “bicho”? Roscón de Reyes!

Na época que se comemora a festa dos reis magos (6 de janeiro),  uma data amplamente celebrada em todo o país, as padarias vendem  o “Roscón de Reyes” que é uma das coisas mais nojentas que eu já vi na vida. Como vocês poderão comprovar na foto abaixo, não estou exagerando. O doce é composto de uma rosca de farinha, que é cortada ao meio, para adicionar uma camada espessa e gordurosa de nata…. A cobertura leva açúcar e frutas cristalizadas …. cruzes!  Algumas roscas tem “mini-brinquedos” escondidos no recheio, para “divertir” as crianças …. Em uma época que os brinquedos tem uma ampla fiscalização para evitar que crianças pequenas engulam acidentalmente peças pequenas, este roscón de reyes é realmente um belo exemplo!!!

Outro doce que me chamou a atenção foi o “brazo de gitano” (braço de cigano). O nome é original, já o doce….. Bom, esta guloseima lembra muito o rocambole, e como o próprio, pode ser feito de vários sabores… tem de chocolate, de morango, e de …… nata !  Repare na foto abaixo. O doceiro não poupou esforços para deixar o doce bem carregado de nata. Já vi brazo de gitano feito de sorvete, que não está mal, porém não é nenhuma maravilha.

E para fechar este post, um doce da região que eu vivo (Galícia). A “orella de porco” (orelha de porco), que é um doce típico gallego feito na época do carnaval.

Brazo de gitano e orella de porco

De todos os 3 doces aqui descritos, este será talvez,  o menos pior, já que é uma iguaria bem simples que não leva adereços.  Lembra muito um crepe, porém é bem rígido e quebradiço. Normalmente se consome tal e como aparece na foto, salpicado de açúcar. Mas tem gente que adiciona chocolate, mel, queijo ou …. nata !!!!

Bom, como vocês poderão comprovar, não escrevi um texto ressaltando as maravilhas dos doces espanhóis, porque realmente não encontrei “o doce” espanhol por excelência. Logicamente tem muita coisa gostosa na Espanha, mas não são doces típicos, são basicamente coisas que podemos encontrar em qualquer lugar.

Eu basicamente consumo muito sorvete e chocolates, não sou muito “doceiro”, portanto não tenho problemas neste campo. O que me chamou atenção realmente foi essa obsessão pela nata (e pelo mau gosto) de combinar ingredientes que não fazem exatamente uma “combinação perfeita”.

Me perdoem os espanhóis, amo a Espanha, sua cultura, música, tradições e sua gastronomia…. Mas não existe lugar perfeito, e a Espanha (na minha modesta opinião) não é a terra dos doces.