Skip to content

Atrações grátis para visitar em Amsterdã!

31/10/2016

bz_holanda

Ana Fonseca – Amsterdã, Holanda

 

Os holandeses são famosos por serem “mão-de-vaca”. Convivendo por aqui há muito anos, tenho visto situações que confirmam e que também desmentem esse carimbo. Eles são também muito, muito generosos (não estou falando do vil metal apenas). Mas, realmente, não são impulsivos na hora de comprar, e por isso muitos turcos e marroquinos nos souks da vida dizem que holandeses são um tipo de cliente “Olham, olham.. e não compram nada”. Se sai um holandês de uma loja de mãos abanando o vendedor da lojinha na Medina fala à boca pequena, pelas costas do cliente batavo:

“Kijk-kijk-niet-kopen, hé? Niet kopen!” %$#@*&”:⊙︿⊙ ⎝╰_╯⎠تشتري أبدا

Porém, gente… Me digam… Quem não gosta de uma boa pechincha? E quem não quer passar horas bem agradáveis em lugares lindos sem pagar nada? Eu aqui fiz uma lista de lugares – fechados e ar livre – que o turista pode visitar e ter um gasto mínimo e apenas opcional com comida e bebida: (estamos falando, por exemplo, de um sorvetinho ou uma cervejinha). Eu não listei toooodas as possiblidades em Amsterdã, mas os programas seguintes são bem acessíveis:

1) Vondelpark

Londres tem o Hyde Park (e não só o Hyde Park), Paris tem os Jardins do Luxemburgo (e não só os Jardins do Luxemburgo), New York o Central park (e não só o Central Park) e Amsterdã tem o Vondelpark: ícone da cidade de Amsterdã em termos de divertimento no meio do verde. Não é o único digno de se visitar na cidade, mas definitivamente o maior, mais conhecido e mais badalado – sem falar na fantástica localização entre a praça dos museus (Museumplein) e ruas de compras chiquérrimas e carésimas (a badalada P.C. Hoofdstraat). Os prédios ao redor do parque são podres de chique. É uma área nobre, nobilíssima da cidade.

blog-amsterdam-vondelpark

No Vondelpark você vê as pessoas correndo, pedalando, patinando, andando de skate e no verão fazendo piquenique e queimando as celulites na grama sob o sol. Há áreas com brinquedos esculturais grandes de madeira para as crianças, jardins hexagonais de rosas, pontes pitorescas de madeira (aquelas feitas de madeira e curvadinhas), lagos com fontes, patos e cisnes. E sobretudo o Vondelpark tem bares, ideal para azaração (discreta, descretíssima e xôxa, minhas amigas solteiras reclamam – mas abafa). Plus: periquitinhos verdes. Isso mesmo. Alguém os soltou por lá, se procriaram e sobreviveram aos últimos invernos, que andam menos rigorosos a cada ano com o aquecimento da Terra. É uma algazarra!

dsc_5877

No Vondelpark, hóspedes VIP. Eles são muito ariscos. Foto acima e abaixo: arquivo pessoal Ana Fonseca.  

blog-vondel-2

blog-ams-theehuis

Het Blauwetheehuis (A Casa de Chá Azul) com arquiteura modernista dos nos 30 do século passado. Parece um disco voador e é bem descompromissado… Amo! Peça uma torta ou um muffin com café, ou uma porção de biterballen com cerveja. Fica aberto de 9h da matina até as 22h. Mas para usar o wc., mesmo se você for cliente e tiver consumido bebidas, tem que ser pago (leve entre € 0.40 a € 0.50). Foto via whatsupwithamsterdam.nl. 

blog-ams-paviljoen

Café restaurante Het Paviljoen. Ótimo para porções de tira-gostos e grande lista de bebida, mas menu bem limitado para quem quer jantar. Apenas parte do prédio serve ao público como bar, os salões no interior geralmente são usado como estúdio para diversos programs de TV, salas de reuniões para empresas, etc.. Foto via wikipedia.

Ou seja: o Vondelpark é cool, é romântico, é muvuquento, é apropriado para crianças, tem gay, tem hetero, tem cross-dresser, tem patricinha, tem patinador com tanga de couro enfiada na bunda e muitos piercings. É conto de fadas, tem pipoqueiro e vendedor de hot-dogs…. tudo acontecendo num lugar só ao mesmo tempo. Muitos shows de música no verão. Leve moedas de € 0.50 para pagar uma visita ao w.c.!  #ficadica

2) Amstelpark

Pouco conhecido dos turistas que visitam Amsterdã pela primeira vez, esse parque fica distante do centro. Fica ao longo do rio Amstel,  atrás da auto-estrada do centro de congressos RAI. Vá de táxi ou caminhe uns 20 minutos a partir do Okura Hotel para ir sentindo o clima do bairro.

blog-amstel-park-3

Foto via rorospots.nl

É um parque super elegante e vale muito a pena visitar-lo. Enquanto o Vondelpark é turistão, tem pessoas ruidosas, dias de show ao ar livre e é cheio de esportistas (skatistas, patinadores, joggers, ciclistas…), o Amstelpark, na minha percepção, é frequentado por um tipo de público menos esportista e mais ligado à arte. Ninguém é largadão, fala alto nem anda de bike por lá, sendo um parque ideal para longas caminhadas. Há um trenzinho para passear pelo parque e florestinhas, duas galerias de arte envidraçadas abertas ao público, um mini-golf, um café e um restaurante.

blog-amstelpark-2

Vários brinquedos para crianças (pagos, porém bem baratinhos) no final do parque. Foto via adambeeldenva1900.blogspot.nl

Também no final do parque há muitos brinquedos para crianças e no verão o parque fica cheio de famílias nessa área do parque – consumindo também na cafeteria do lugar com suas frituras baratas. Os jardins são grandes, impressionantes e extremamente bem cuidados; há um vale de rododendros, um rosário, um jardim de estilo belga, outro com plantas que atraem borboletas… Ou seja: um parque para intelectuais, mais intimista e para famílias com crianças pequenas. Aqui não rola pipoqueiro nem vendedor de cachorro-quente.

blog-amstel-park

Amstelpark foto via adambeeldenva1900.blogspot.nl

3) Mercado das Flores

Esse é o mais famoso mercado de rua da Holanda. Aqui você encontra flores, sementes, plantas e suvenires baratinhos (pense em: ímas de geladeira, tulipas de madeira, bibelôs e outras quinquilharias) em barraquinhas montadas sobre as águas do canal Singel, em pleno centro de Amsterdam.

blog-bloemenmarkt-2

As barraquinhas montadas em cima do canal Singel. Foto via amsterdam-online.nl

 Vá cedo para andar com calma e apreciar bastante. Amsterdã não tem alta criminalidade de pequenos furtos (batedores de carteiras, etc.), mas fique atento porque o mercado das flores distrai bastante e atrai muita gente. Sempre vou lá levando amigos turistas, fui com a Carla e com a Jane como já narrei em posts aqui já publicados.

blog-bloemenmarkt

Foto via eurolines.ro

Bloemenmarkt

Endereço: Singel, 1071 AZ
Bondes: Muntplein: bondes 4, 9, 14, 16, 24 & 25 (dá para caminhar tranquilo até lá a partir da Estação Central).
Aberto de segunda à sábado de 9h30 – 17h00

4) O Mercado ao ar livre Albert Cuypmarkt:

Estabelecido em 1905, é o mais antigo e mais longo mercadão de rua da Holanda. Talvez seja até mesmo o maior de toda a Europa. Não é o mais bonito a meu ver, então não espere um lugar charmoso. Mas é eficiente e tem bastante coisa: frango assado, peixe fresco, queijo, nozes de todos os tipo, plantas, flores, roupas, tecidos, móveis, pães, snacks indonésios, artigos de couro… É o Sahara do centro do Rio, versão holandesa.

albert

 Foto via mikadospeelgoed.nl

Fica no sul de Amsterdam no charmoso bairro De Pijp (na rua Albert Cuypstraat, entre os trechos das ruas Ferdinand Bolstraat e Van Woustraat), uma área com muitas lojas legais espalhadas pelo bairro. Você chega lá com os bondes 4, 16, 24 ou 25 a partir da Estação Central (Centraal Station). Aberto de segunda a sabado de 10h as 17h. Domingo fechado.

blog-amster-cuy

Foto via crafster.org

Andar pelo mercado é gratis e legal para fazer fotos, mas acho que você não vai resistir aos precinhos e comprar algo! Nem que seja um quejinho ou um rolinho primavera em algum quiosque indonésio.

5) Mercado de pulgas Waterlooplein

Confesso que esse mercado não é meu favorito – por isso não vou falar muito a respeito.  Devo em uma década ter visitado apenas duas vezes. Mas é muito popular entre turistas, com todo tipo de artigo de segunda mão à venda: LP’s, louças, cerâmica e porcelana, budas e artigos da Indonésia, brinquedos vintage, roupas em cabideiros ou simplesmente empilhadas no chão. Mesmo se você não quiser comprar nada com certeza vai ficar com a vista cheia e impressionado com  o volume e variedade de artigos usados.

blog-amsterda-mwaterloo

Foto via http://communitytimes.me/i-amsterdam/

Endereço: Waterlooplein, 1011 PG
Bondes: 1, 2, 5, 13 do shopping Magna Plaza ou bonde 14 da Centraal Station
Aberto de segunda à sexta de 9h00 – 17h30; Sábado 8h30 –17h30 .

6) Begijnhof

blog-ams-begijnhof

Amigos brasileiros visitando Amsterdã eu sempre SEMPRE levo lá (e também a Carla Guanaise a Jane Murback, rs…). Altamente recomendável. Basicamente um pátio cercado de prédios, onde tradicionalmente moravam viúvas acolhidas de um ordem religiosa, as Beguines, em silêncio e devoção. Hoje em dia moram por lá idosas, estudantes and all the single ladies.  

blog-begin-passage

Fotos acima: thehostelgirl.com

Há uma porta que forma a entrada “secreta” para essa área residencial. Quando você estiver na praça Spui localize a American Book Center. A entrada para a Begijnhof é uma porta que fica alguns metros à direita da livraria. Empurre a porta, caminhe devagar e você vai dar acesso ao pátio. Fale baixinho quando estiver por lá.

blog-ams-begijnhof-2

Na primavera os jardins tem bastante tulipas. Visite o interior da igrejinha. Sempre sussurando, caso contrário vem alguém te dar um pito (sim, já aconteceu comigo).   A entrada da Begijnhof fica na praça Spui e pode ser visitada de 9h até as 17h. Silêncio por favor!

7) Vistas a partir do telhado do Museu de Ciências NEMO

blog-nemo

O NEMO é bem reconhecível para quem chega ao centro de Amsterdã. A partir da Estação Central vá andando até lá em direção ao prédio OBA e o Restaurante Chinês flutuante, continue caminhando até o final – não tem erro. O museu é para crianças, tem vários andares e seções. Cada criança usa as atrações como quiser, de modo experimental.

16 17

Fotos acima: arquivo pssoal Ana Fonseca

2

MAS você pode simplemente entrar no prédio do museu, não pagar entrada nenhuma para visitá-lo e subir de elevador até o telhado. Lá voce pode comprar bebida e comida ou simplesmente relaxar e ficar vendo a cidade, a entrada para o túnel e pegar sol. Lagarteando. To-tal-men-te de graça!

blog-nemo2

Olha o telhadão! Desse ângulo dá para você entender melhor quando eu digo “subir no telhado do NEMO”. Pode ser de escada ou de elevador. Foto via blog.flamyngo.co 

p1030614

Maridão e filhos no telhado do NEMO em 2011. Me lembro desse dia como se fosse ontem. Gente, o tempo voa!!!! 

8) Vista de Amsterdam a partir da OBA (Biblioteca Pública de Amsterdã) 

dsc_5702

Vista da OBA, caminhando a partir do NEMO em direção à Estação Central. Foto arquivo pessoal Ana Fonseca. 

Keywords: 2013;Amsterdam;Nederland;Netherlands;Openbare bibliotheek

Um outro ângulo do prédio, vindo da Estação Central. 

O interior da bilbioteca é lindo, puro design. As paredes, as luminárias, a disposição do material, o tecido empregado nas paredes. Até os lavatórios são bem bonitos (leve sempre moedinhas de 50 centavos ou 1EUR para poder fazer seu pipi). É um prédio em vermelho, vá caminhando a partir da Estação Central, fica ao lado do Conservatiorium van Amsterdã. Conheci mais porque meu filho faz um cursinho de computação lá aos sábados à tarde.  Assim como no NEMO, simplesmente adentre o prédio e tome o elevador. Vá para o andar mais alto e lá você pode fazer fotos interessantes de Amsterdam ou simplesmente admirar a cidade do alto. É uma boa alternativa ao telhado do NEMO para fazer fotos, para quando o tempo estiver chovendo e frio.

dsc_5705Um dos interiores da OBA, decoração bem contemporânea e hightech. A OBA é um ótimo lugar para ficar lendo de graça e fazer fotos de Amterdã do alto, pois tem fachada envidraçada. Foto arquivo pessoal Ana Fonseca.  

9) Zaanse Schans

Hum, ok. Confesso: Não fica em Amsterdã. Mas a partir do ponto na Estação Central de Amsterdam (tome o ônibus linha 391 da Connexxion que parte a cada 15 minutos) você chega lá em cerca de 40 minutos. De trem você chega lá em 17 minutos, saindo de Amsterdam e descendo na estação Koog-Zaandijk (caminhar 15 minutos até a entrada do Zaanse Schans). Veja a página em inglês: http://www.dezaanseschans.nl/en/

dsc_4541

dsc_4522

dsc_4532

dsc_4587

Fotos acima: arquivo pessoal Ana Fonseca

O Zaanse Schans é uma village holandesa muito bem preservada e restaurada. As pessoas moram e trabalham lá. Você caminha entre mini fazendas, lojas e casas fofas tal  como eram no século XVIII e XIX.  Tire a metade de um dia para visitar. Você pode fazer fotos de moinhos e paisagens, comer panquecas ou sanduíches e sopas, comprar queijos, visitar o museu da fábrica de chocolate Verkade e muito mais. Em maio durante o feriado holandês de Pinksteren há encenações com atores que contam a vitória dos holandeses sobre os espanhóis em 1574 (veja fotos abaixo, meu arquivo pessoal).

dsc_4563

dsc_4544

10) Igrejas

Amsterdã sempre foi coalhada de conventos, paróquias, capelinhas, claustros e igrejas. Sim, igrejas. Vamos visitar igrejas, people! Ora, e por que não? Não precisa ser igrejento para gostar de ver o interior de igrejas e igrejinhas. Além do mais, com a secularização que a Holanda passa (e toda Europa do norte)  muitas igreja são hoje lugares de concertos, exposições, lojas. Algumas mantém sua função religiosa, como a Noorderkerk, Westerkerk, Sint Nikolaaskerk (bem no centro, visível a partir da Estação Central, vale a pena visitar e ver os vitrais. É imensa, na verdade uma basílica), a Igreja dos Santos Pedro e Paulo (“Igreja do Papagaio”), e a Paróquia Onze Lieve Vrouwe do Sagrado Rosário.

blog-ams-papegaai

A igreja do Papagaio (1672, oficialmente chamada de Igreja de Pedro e Paulo, popularmente chamda “De Papegaaikerk”) fica bem no centro, no começo da rua Kalverstraat, espremida entre duas lojas e com entrada discreta. À esquerda tem uma escultura de papagaio, para assim disfarçar que era uma igreja católica e não chamar muito a atenção dos protestantes, durante as guerras de religião na Europa.  Por dentro é bonitinha, e serve para dar um descanso e fortalecimento à alma diante de tanta tentação consumista que a rua Kalverstraat oferece. 

blog-ams-basilica

A Basílica de Sint Nikolaas, bem perto da Centraal Station de trens. Foto acima: rentaboatamstermca.com e abaixo: janvanbreda.com

Amsterdam 22 januari 2011 - Sint-Nicolaaskerk, Inmiddels verheven tot De Sint-Nicolaasbaseliek is een Rooms-katholieke kerk in de Binnenstad van Amsterdam. Ik heb het gebouw altijd beschouwd als baken van thuiskomen als ik met de trein de stad weer in reed.

11) Festivais

A Holanda é um país com uma quantidade enorme de eventos e festivais grátis. Eles começam em abril e vão até meados de janeiro. Por exemplo: Koningsdag (King’s Day), o Gay Pride, o Uitmarkt, o Grachtenfestival (festival de música clássica nos canais), e o Amsterdam Light Festival no inverno que eu já visitei durante dois anos consecutivos e bloguei a respeito aqui e também aqui.

blog-ams-grachten

Grachtenfestival, foto via iamsterdam.com. Abaixo: via flickr.com

blog-ams-grachten-2

191watermark

Foto acima: navio fantasma, feito de luz e água no Amsterdam Light Festival. Arquivo pessoal.

12) “De Pont”

“A Ponte” nada mais é do que o transporte de barco feito atrá da Estação Central para o outro lado da água (o Ij, mar interior) onde fica Amsterdam-Noord. O transporte pela Pont é gratuito, e você pode ir de moto ou com sua bicicleta também. Há várias linhas. Pegue a indo para Buiksloterveerweg e visite o EYE Filmmuseum. Ou pegue a Pont para a área “NDSM-werf” onde fica um terreno cheio de ateliês e espaços de artistas.

blog-eye-2

Fotos EYE Museum: via amsterdamsights.com

blog-eye

Ainda na área NDSM-Werf, um atração é caminhar até o imenso mural da Anne Frank – a jovem alemã-judia que morreu em um campo de concentração aos 15 anos. Seu diário dos anos em que ficou escondida no sótão de uma casa em Amsterdã ficou famoso no mundo inteiro.  Um projeto do Kobra, o mural foi inaugurado na parede um prédio onde será consturído o maior museu de arte de rua do mundo. Chamado de “Let me be myself, o mural tem 240m² e é uma ótima pedida para fotos.

blo-anne-frank

Abaixo, um filminho sobre Amsterdã. Será que voce já consegue reconhecer alguns dos lugares aqui mencionados?

Conclusão:

Há muitas maneiras de se visitar Amsterdã sem gastar um tostão para entrar em muitos lugares. Amsterdã é compacta e pode ser toda descoberta à pé. Se sua grana for curta, passe no supermercado perto do seu hostel ou hotel e compre diariamente frutas, um sanduíche e uma bebida pequena. Leve numa mochila e vá curtir a cidade, parando aqui e ali nos lugares que indiquei acima para esticar as pernas (especialmente NEMO, o Vondelpark, o Amstelpark, e o EYE), comer e fazer fotos muito legais.

Pluk de dag! (Carpe Diem!) 

_________

Ana Fonseca mora desde 1999 na Holanda e adora atrações grátis. Para ver fotos dela e dos outros autores no Instagram também é grátis, apenas clique aqui (e nos sigam, tá?). Para acompanhar atualizações da página do BZ no Facebook também é grátis, basta clicar aqui e lembrar de seguir-nos. Twitter? Clique aqui. Agradecemos. Se quiser participar como autor(a) com textos mensais no BZ envie um e-mail para a administração: blogbrasilcomz@gmail.com contando resumidamente sua biografia e motivação. Blog Brasil com Z, um blog feito por brasileiros expatriados dos quatro cantos do mundo!

4 Comentários leave one →
  1. 31/10/2016 12:32

    Adorei, inclusive porque também inclui programas pra crianças 🙂

  2. 02/11/2016 12:18

    Definitivamente, A holanda será meu primeiro “stop over” na próxima viagem.

  3. Ana cecília permalink
    02/11/2016 12:57

    Dicas valiosíssimas. Passeei e até cansei!! Rsrsss
    Anotado, um dia irei conhecer ao vivo!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: